18.2 C
Itapema
segunda-feira, maio 27, 2024
mais
    InícioSanta CatarinaInvestimentos na BR-101 aguardam liberação da ANTT desde 2020

    Investimentos na BR-101 aguardam liberação da ANTT desde 2020

    Em:

    Em Destaque

    Pelo Estado 24/05: Portos catarinenses em transição

    Na última semana, publicamos aqui na Coluna que a...

    Pelo Estado 23/05: Impasse sobre barragem chega à ministra Guajajara

    A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, e o...

    A concessionária Arteris Litoral Sul aguarda a liberação de um projeto, ao custo de R$ 537 milhões, para desafogar o trânsito na BR-101 entre os municípios de Balneário Piçarras e Itajaí, passando pelo município de Penha e Navegantes. O projeto foi protocolado no mês de agosto de 2020.
    Este foi um dos principais assuntos tratados na audiência pública realizada pela Câmara de Vereadores de Penha na terça-feira (12) com o objetivo de discutir os problemas enfrentados pela comunidade no entorno da rodovia federal, no trecho que liga toda a região da Foz do Rio Itajaí.
    O evento foi conduzido pelo vereador Everaldo Dal Pozzo (PL), o Italiano – proponente da audiência pública – com a presença do presidente da casa, Maurício da Costa (MDB), o Lito, do presidente da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri) e prefeito de Penha, Aquiles da Costa (MDB), do diretor de Operações Sul da Arteris, Antônio César Ribas, e do coordenador de projetos da concessionária, Marcelo Possamai.
    Ainda participaram o secretário municipal de Planejamento, Maurílio Duarte, o diretor executivo da Amfri, Jaylon Cordeiro da Silva, os vereadores Antônio Cordeiro Filho (MDB), o Toninho, Mário Moser (União), o Marquett, Luiz Fernando Vailatti (Podemos), o Ferrão, Roberto Leite Junior (Cidadania), além de empresários, representantes de entidades e da sociedade civil.

    ✔️ Marcelo Possamai apresentou o projeto e explicou que o trecho da região tem um fluxo diário de 75 mil veículos que, em horários de pico, resultam em uma velocidade média de 10 km/h, gerando vários quilômetros de congestionamento e um custo enorme para a cadeia produtiva e toda a sociedade. “É um trecho com vários rios, com necessidade de várias pontes, o que também é um complicador”, ressalta o coordenador de projetos da Arteris.

    ➡️ No geral, o valor de R$ 537 milhões do projeto engloba a construção de duas pontes em Navegantes, um trevo no município de Penha, marginais entre Penha e Navegantes, as marginais de Itajaí e ainda trevo com viadutos de acesso à rodovia Jorge Lacerda, trevo da avenida Adolfo Konder (em Itajaí), uma ponte sobre o rio Itajaí Mirim e as marginais até a Canhanduba. “Precisamos de um esforço conjunto entre ANTT, DNIT, DEINFRA e as prefeituras para que este projeto aconteça”, conclui Possamai.

    Aquiles considera que a questão da BR-101 é um empecilho para toda a região. “Somos 11 municípios e, sem sombra de dúvidas, a região que mais cresce em Santa Catarina, mas perdemos muitos investimentos por conta deste gargalo na rodovia. Por isso estamos fazendo todos os esforços necessários”, ressalta o presidente da Amfri que não descarta uma ação judicial para conseguir a liberação do projeto que está parado há dois anos na ANTT.

    ⚠️ Problemas locais

    O isolamento das comunidades que vivem às margens da BR-101, nos bairros São Cristóvão e São Nicolau, também foram pauta da audiência e devem ser contemplados. “A concessionária assumiu um compromisso com os municípios de Penha, Piçarras e Navegantes de concluir aquele retorno no bairro São Nicolau até o final de 2023. Também solicitamos que se estendam as marginais até a Transbeto, passando pelo São Cristóvão”, afirma o vereador Italiano.
    O proponente da audiência pública também lembrou que empresários da região estão dispostos a buscar soluções, como as empresas Tranportes Bendini Logística e a Itacorda, instaladas respectivamente no São Cristovão e São Nicolau, às margens da rodovia.

    Cidades