Barbeiro, uma profissão que se reinventou

119
Compartilhar

Especial

Profissional em ascensão nos últimos anos, o barbeiro se reinventou para ganhar mais. Se antes ficava localizado na porta da esquina, fazendo um serviço e um atendimento abaixo das expectativas, as novas barbearias entraram no mercado para conquistar até os homens mais conservadores.

Cleyton Amaral

No fio da navalha, a profissão de barbeiro vem despertando o interesse de jovens. Prova disso são as inúmeras barbearias com novo conceito. Agora os ambientes contam com música agradável, boa conversa e chope para acompanhar. Nossa reportagem foi conhecer uma desta barbearias, a Bender. Uma franquia que conta com nove unidades em nossa região e conheceu um jovem barbeiro, que ingressou na profissão recentemente e pretender fazer desta experiência algo duradouro.

O itapemense Everton Manoel, de 21 anos, sempre trabalhou na construção civil, como servente de obras. De acordo com ele, a profissão que o pai exercia já não trazia tantas expectativas. “Comecei minha vida profissional atuando com meu pai, porém estava fadigado da profissão e comecei a pesquisar sobre algo que poderia fazer, foi onde meu tio me deu a ideia de fazer o curso de barbeiro. Então fui pesquisar sobre onde eu poderia fazer o curso técnico para iniciar na profissão e fiz a minha inscrição no instituto Embelleze, em Balneário Camboriú. O curso que durou aproximadamente 10 meses, já nas primeiras aulas me apaixonei pela profissão e tive a certeza que estava no lugar certo, pois estava fazendo algo que me dava prazer! Depois dos 10 meses de curso, larguei meu trabalho e fui em busca de trabalho e encontrei a Barbearia Bender, onde trabalho há 3 meses”, expressa o jovem.

Busca pelo prazer

De acordo com Everton, ser barbeiro é muito prazeroso. “Para mim trabalhar como barbeiro é muito prazeroso, pois a cada dia conheço uma pessoa, uma história diferente, faço amigos, e até, dou conselhos. O barbeiro, às vezes, se sente um psicólogo pois ouve as pessoas que se abrem conosco”, conta o rapaz. Neste pouco tempo em que atua no ramo, Everton revela que até já conseguiu um emprego para um cliente desempregado.

Mercando em expansão

Os brasileiros, cada vez mais vaidosos, passaram a necessitar de um especialista que pudesse atendê-los da forma como merecem: de forma confortável, adequada e especializada.

Os novos empreendedores, com o desejo de explorar demandas cada vez mais personalizadas, transformaram o setor, reinventaram as barbearias e elas voltaram com tudo. Hoje é impossível pensar em mercado da beleza masculino sem se lembrar delas.

Histórias do barbeiro

Apesar de muita gente acreditar que homens não se cuidam, a vaidade também é muito presente no público masculino desde os tempos longínquos. A profissão de barbeiro é uma das primeiras conhecidas na história mundial. Os primeiros sinais sobre ela surgem no Egito Antigo, onde corpos sem pelos eram considerados sinais de nobreza. Os barbeiros viajavam até seus clientes transportando giletes gigantescas, similares a pequenos machados. Junto com eles, tesouras, loções e pentes eram utilizados para manter a beleza de ricos, faraós e sacerdotes.

No Brasil, a profissão foi trazida pelos padres jesuítas, em uma tentativa de civilizar os nativos daqui. Com o tempo, o ofício começou a ser delegado aos escravos negros, que trabalhavam para seus senhores e para outros homens.

Serviço

O que: Barbearia Bender

Onde: Rua Governador Celso Ramos, 364, ao lado da J Bike

Quando: Funciona de segunda a sábado, a partir das 9h.