Câmara de Itapema indica criação de canal de Whatsapp para combater o mosquito da dengue

350
Compartilhar


Santa Catarina vive um surto da transmissão do vírus da dengue pelo mosquito Aedes Aegypti. Dados da Dive (Vigilância Epidemiológica do Estado) mostra que Itapema é a cidade com o maior número de pessoas infectadas pela doença em SC. Foram 44 casos registrados até o dia 06 de abril.

Neste sentido, toda ação, por mais simples que pareça, serve para amenizar os impactos da transmissão na cidade. Pensando nisso, o vereador Cleverson Tanaka (PDT) apresentou uma Indicação que pede a criação do “Zap Dengue”, uma ferramenta de comunicação da população com a Secretaria de Saúde para denúncias de focos do mosquito.

O “Zap Dengue” é um canal de comunicação via aplicativo Whatsapp, onde o cidadão pode enviar mensagens indicando locais com possível existência do mosquito e, ainda, solicitar vistorias na área. Segundo o vereador, a ideia é usar o aplicativo como forma prática e ativa no combate ao Aedes Aegypti, contando com a participação do cidadão.

Itapema não seria a primeira cidade da região a implantar o novo canal de comunicação. Segundo Tanaka, a cidade vizinha Porto Belo já utiliza deste programa. “Com a participação de todos é possível tornar mais efetiva a prevenção contra a dengue, zika e chikungunya e evitar surtos dessas doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti”, afirmou o vereador.

Orientações para evitar a proliferação do Aedes Aegypti:

• Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

• Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

• Mantenha lixeiras tampadas;

• Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

• Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

• Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

• Mantenha ralos fechados e desentupidos;

• Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

• Retire a água acumulada em lajes;

• Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;

• Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

• Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;

• Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

• Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.

Segundo o Ministério da Saúde, 80% das larvas do mosquito transmissor estão em ambientes domésticos. Nas casas ou terrenos. O combate à dengue pode começar com nossa atenção a pequenos detalhes. Com a mobilização de todos, é possível vencer a guerra contra o mosquito.