Camboriú promove 1° Acampamento Farroupilha de 7 a 9 de setembro

420
Compartilhar

A Prefeitura de Camboriú irá realizar, entre os dias 7 e 9 de setembro, o 1° Acampamento Farroupilha do município. O evento contará com campeonato de bolita, mateada entre piás e prendinhas, venda de comidas típicas, transmissões de programas tradicionalistas e concurso de dança chamamé. O galpão onde se reunirão os grupos e moradores ficará no terreno próximo ao Posto Ipiranga, na Avenida Minhas Gerais, n° 305, no Centro.

Um pelotão farroupilha irá participar do Desfile Cívico promovido pelo Município no dia 7 de setembro. Às 14h30min, iniciará a cavalgada. Os cavaleiros vão sair do galpão em direção aos bairros Areias, Santa Regina, Cedro, Rio Pequeno e São Francisco de Assis. Adilson Bernardes, responsável pelo movimento, explica que a cavalgada visa divulgar o evento aos moradores.

“A cavalgada enriquecerá o Acampamento Farroupilha. Por meio dela, convidaremos a população a participar. O evento tem uma programação vasta, pensada para resgatar a tradição gaúcha”, compartilha Adilson, que, apesar de ser natural de Camboriú, é neto de tropeiros e integra o grupo de cavalgadas Amigos da Tradição.

Nos três dias de evento, grupos apresentarão invernadas artísticas. O grupo Sentinela do Rincão fará uma das apresentações. “Quatro casais participarão do ato. A apresentação terá entrada, duas músicas que seguem o manual de Paixão Côrtes e encerramento”, explica a dançarina Nara Cristiana Barbosa Salvador.

O acampamento também terá apresentações musicais e shows de artistas e grupos locais. A abertura será realizada pelo grupo Balanejo, que antecede a banda Legião Gaúcha. No sábado, dia 8, o cantor Daniel Torres sobe ao palco no galpão. O encerramento do evento, no domingo, dia 9, fica a cargo de Osmar Fernandes e Banda.

Toda a programação do evento foi decidida por uma comissão técnica formada por membros da Fundação Cultural, moradores e grupos tradicionalistas. A presidente da Fundação, Judite da Silva Piza, comenta que o evento, além de atender a lei municipal n° 3.019/2017, busca fortalecer as raízes gaúchas na região. “Hoje o movimento gauchesco é um dos maiores do país. Queremos reunir as famílias no galpão, para que possam aproveitar toda a programação”, declara.