Coluna Euclides Balbinot Junior

327
Compartilhar


Sobrecarga de tarefas!

 

Nos últimos anos as empresas realizaram inúmeras demissões. Os que continuaram no quadro de funcionários acabaram assumindo as funções de quem saiu ocasionando um grande problema: Sobrecarga de tarefas. Esse funcionário acabou gerando um alto nível de confiança junto a superiores, porém assumindo vários “braços” dentro do trabalho acabam ocasionando em rotatividade nas empresas. As consequências de sobrecarregar uma única pessoa com responsabilidades, resultados e metas, acabam sendo desastrosas para a saúde emocional, mental e física dos colaboradores, que podem até desenvolver a síndrome de Burnout, conhecida como a síndrome do esgotamento profissional. Os cargos de liderança estão perdendo esses “colaboradores polvos” que são excelentes executores e que se frustram com o excesso de trabalho, sendo que a principal frustação é com eles mesmos por não conseguir dar conta das atividades em tempo hábil e com a qualidade que ele mesmo sabe que poderia ser melhor. Líderes, momento de reflexão. Distribuir melhor as tarefas gera responsabilidades e pulveriza oportunidades entre equipes, e o melhor, não sobrecarrega ninguém.