Coluna Juquita Carvalho 20/05/2019

572
Compartilhar

Breves Apontamentos Nessas
Noites de Insônia 22

 

Do teu início, do princípio?!, afinal de qual início estás falando, se a cada dia estamos reiniciando tudo outro vez.
***

O ovo da ave guarda em si todo o mistério da vida. Agora, depois do ovo fecundado virar embrião, aí é tudo com a avezinha; que trate ela de quebrar a casca com o bico se quiser nascer. Este, o primeiro gesto de sobrevivência das aves. Diferentes de nós, humanos, que uma cesariana, num parto sem dor, num parto artificial viemos ao mundo – nós, a maioria que sequer fizemos força para nascer. Daí, tanta gente fraca, mimada, infantilizada que existe por aí.
Aves, bichos valentes, as aves, que voam nos seus voos migratórios milhares de quilômetros, atravessando continentes com aquelas suas asinhas feitas de aparente e enganosa fragilidade.
E você que tem medo de conversar com um estranho…
***

Buscas as companhias dos grandes e bons livros. Eles te retirarão das trevas da ignorância. E tenhas amigos mais sábios que tu; eles te içarão rumo a um outro tipo de céu que desconhecias. E dos ignorantes, apenas tenhas dó dessa gente, já que nada podes fazer para retirá-los do lamaçal em que estão metidos.
***

Queres ouro, mocinha? Adoras o metal dourado, mocinha? Mas como você poderá ser dona desse tesouro, se o teu cérebro, esse teu cerebrozinho tem nele só as ganas do interesse material? Ora, minas de ouro – valerás o que tens no teu cérebro na forma de inteligência que sirva para a humanidade. Porque interesses individuais, mocinha, isso é pouco, isso é nada. De arrivistas o mundo está cheio e deles já estamos cansados de assistir as suas aventuras de garimpeiros.
***

Ei, você!, de qual cidade do interior você veio? Porque o discurso, as ideias, os preconceitos, os moralismos, o antiquado, o reacionarismo, o mofo, estão grudados feitos fios de barba no rosto seu – essas convicções das gentes provincianas, dessas cidadezinhas do interior. Que país atrasado este nosso, que na maioria das nossas cidadezinhas interioranas, sequer uma livraria existe.
***