Coluna Stálin Passos 10/04/2019

555
Compartilhar

Conselhos ao presidente Bolsonaro! (II)

Caro presidente, parabéns pela exoneração do ministro da Educação que, infelizmente, não estava preparado para administrar u ministério tão importante para o nosso País e que, na verdade só lhe trouxe problemas. Como indicamos no artigo anterior (I), a faxina precisa ser completada com a demissão dos ministros das Relações Exteriores e Direitos Humanos.
Nosso povo lhe deu um mandato forte e democrático, o qual não se estende ao seu clã (zeros 1, 2 e 3) que, direta ou indireta, juntamente com indicados pelo ex-astrólogo e auto-proclamado filósofo (com seus “olavetes”) o mantém como protagonista de muitos conflitos, com o Legislativo, Líderes Partidários e seus Partidos, mantendo-o como atos principal duma série desnecessária de protagonismos (nazismo como ideologia de esquerda, insulto aos chilenos com o elogio a Pinochet, questionamento das estatísticas de desemprego, elogios a Fujimori…). Saia do Twitter (comunicação unilateral e sem contraponto), valorizando os nossos meios de comunicação e a nossa mídia, fortes instrumentos da vida democrática, como ocorre nos países democráticos.
Senhor presidente, centralize a sua força política no combate ao desemprego e à Reforma da Previdência,
Os setores importantes da sociedade e principais órgãos de imprensa estão ajudando-o, quando mostram que a campanha terminou, estando a oposição paralisada e todos torcendo para o seu bom governo. Saia dessa luta de regeneração dos nossos valores, nosso povo quer sempre o melhor e o elegeu para que fizesse um bom governo e nada mais. A sua ação contra princípios morais ultrapassados e defesa de valores retrógados, agressões contra conspiradores inexistentes… levantam muita poeira e paralisam o governo, estanho na contramão da História!
O resultado dos Cem Dias (lua de mel entre povo e governo) está perigoso: crise financeira, estagnação econômica, desemprego em alta…e todas essas ninharias discutidas via Twitter acaba deixando o povo inseguro, como resultado temos a perda acentuada da sua popularidade (=15% do eleitorado).
As viagens internacionais foram um fracasso e só criaram constrangimentos e tentar fazer o Golpe de 64 como movimento de salvação nacional foi ato ridículo e desnecessário!
Tais ações, em seu conjunto ou separadamente, se caracteriza como puro revanchismo e dificulta a união nacional, dificultando a produção das reformas que o Brasil precisa para seu desenvolvimento social, econômico e político!
Mostre-nos que sua ação política é pautada por princípios liberais e democráticos, dentro das nossas tradições ocidentais e não por um ex-astrólogo, ressentido e estranho à nossa cultura e tradição, já que o mesmo embebedou-se em copiar o que existe de pior na literatura ocidental (O.Spengler [teórico do nazismo], René Guénon [perenialismo] e mística hinduísta), considerado, ainda, que a civilização ocidental está degenerada.
Caro presidente, trace nova estratégia política, passando a valorizar a grandeza do seu cargo, saia da zona de atrito, deixe de provocar uma oposição que se encontra paralisada, ainda sob o efeito da derrota eleitoral inesperada. Enfim, foque seu protagonismo no que necessitamos!