Comunidade e prefeitura debatem em audiência pública

562
Compartilhar

Morretes

Nilza Simas apresentou ações realizadas na comunidade nos últimos 30 dias e absorveu mais demanda por parte dos moradores, entre elas, a solução para o escoamento da água pluvial na rua 444. Próxima audiência ficou marcada para o dia 29 de março.

Cleyton Amaral

A comunidade compareceu em peso na audiência pública na noite da última terça-feira, dia 27, na Associação de Moradores do bairro Morretes, em Itapema. Na pauta da discussão, as reivindicações dos munícipes após o período de chuva e também uma primeira apresentação da prefeitura sobre ações realizadas na comunidade depois que os problemas começaram a aparecer. Muitos moradores queixaram-se sobre a falta de infraestrutura nas vias do bairro, como bocas-de-lobo entupidas, buracos e outros problemas. Entretanto, uma das principais reclamações foi em relação à rua 444.

Audiência convocada pela associação

Esta é a segunda audiência pública convocada pela Associação de Moradores do bairro Morretes com o Poder Executivo. Segundo o presidente da entidade, Mauro Matzenbacher, a noite foi bastante produtiva e alguns problemas já foram solucionados. “A associação convocou as audiências com o intuito de solucionar os problemas da comunidade. De trazer também a prefeitura, bem como a prefeita Nilza até o bairro para falar e ouvir os moradores pessoalmente”, sentencia o líder comunitário.

Problema pontual

Um dos pontos altos da discussão foi a rua 444. Moradores relatam que depois que um grande supermercado se instalou ali e também depois que um loteamento particular ao lado da rua foi aterrado, a comunidade passou a sofrer com constantes enchentes. “Agora bastou uma chuvinha que alaga tudo. Estamos apreensivos”, relata uma moradora à prefeita Nilza.

Nas palavras da chefe do Poder Executivo itapemense, um estudo da bacia naquela região específica foi solicitado pelos órgãos competentes à empresa responsável pelo loteamento, que ficou de apresentá-lo nesta sexta-feira, dia 02. A partir deste estudo, segundo Nilza Simas, a prefeitura poderá agir com mais cautela para solucionar o problema. Ficou acordado que após o recebimento do estudo da área, a prefeita irá a rádio da cidade apresentar os resultados para a população. A próxima audiência ficou marcada para o dia 29 de março, também na associação de moradores.