Conheça os candidatos ao Conselho Tutelar de Itapema

569
Compartilhar

Dando sequência na nossa série especial com os candidatos ao cargo de conselheiro municipal de Itapema, conversamos desta vez com Vanessa Regis, formada em Direito, moradora da Meia Praia.

Breve histórico

Formada em Direito pela Univali, atuou no conselho tutelar como suplente nos anos de 2016 a 2019. Possui vasta experiência com crianças e adolescentes, dedicando sua pós-graduação para atuar na educação e direitos humanos, em especial das crianças e adolescentes. Cursou a escola de magistratura estadual na ESMESC, agregando conhecimentos jurídicos para melhor desempenhar as funções como conselheira tutelar. Moradora do bairro Meia Praia, casada e mãe de dois filhos.

Por que você quer ser um conselheiro tutelar?

Para trabalhar efetivamente pela proteção e garantia dos direitos das crianças e adolescentes, como tenho feitos nos últimos anos. Para continuar na luta incansável pela família, orientando de modo a reestruturar e preservar essa base, pois sei da fundamental importância que tem para a boa formação e desenvolvimento das nossas crianças e adolescentes.

Quais ações pretende apresentar junto ao conselho para resguardar os direitos das crianças e adolescentes?

Denunciar as autoridades competentes quaisquer tipos de abusos ou afrontas contra os direitos das crianças e adolescentes, relatar tais ocorrências, bem como orientar a família e assegurar que o previsto no ECA seja integralmente cumprido.

O que pode ser melhorado no conselho atual?

O ponto mais importante a ser melhorado, sob pena de graves prejuízos ao cumprimento dos direitos da criança e do adolescente é a forma de ingresso no órgão. A seleção através de uma eleição, é a forma mais pitoresca a ser usada para selecionar um profissional de um cargo tão importante como o de conselheiro tutelar, pois não é levado em conta conhecimentos técnicos como critério para ingresso, podem ser eleitos bons ou maus conselheiros, e quem sofre as consequências é a criança ou adolescente. Outro ponto negativo que efetivamente remete o conselheiro tutelar por eleição a experiência profissional, ou seja, quando o profissional obtém uma boa experiência na função terá que deixá-lo, por se tratar de um cargo eletivo. É, sem dúvidas, o mais importante a ser melhorado.

Como você avalia as políticas públicas de Itapema para a criança e o adolescente?

Em Itapema há iniciativas das secretarias municipais essenciais para encaminhamentos das crianças e adolescentes que tem seus direitos desrespeitados ou que vivem em áreas ou situações de vulnerabilidades, que apesar de muito boas, devem continuar e sempre se aperfeiçoar.

Você conhece o ECA? Na sua opinião, como combater a violência contra essa faixa etária?

Sim, e na minha opinião a família é fundamental nesse combate, dessa forma, todas ações que fortaleçam a base familiar devem ser incentivadas.