‘Delirante’, ‘negacionista’ e ‘infundado’: entidades criticam o discurso de Bolsonaro na ONU

423
Compartilhar

#presidente

 

O presidente Jair Bolsonaro disse que Brasil é ‘vítima’ de uma campanha ‘brutal’ de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal.

 

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (22), em discurso na 75ª Assembleia das Nações Unidas (ONU), que o Brasil é “vítima” de uma campanha “brutal” de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal (veja o discurso adiante).

A gestão ambiental do governo brasileiro é um dos principais motivos de críticas que o país recebe da comunidade internacional. Desde o ano passado, entidades, países e personalidades contestam as políticas do Brasil para o meio ambiente.

Observatório do Clima

A entidade caracterizou o discurso como “delirante”, que “expõe o país de forma constrangedora” e confirma as preocupações de investidores internacionais. A nota ressalta que, ao negar a crise ambiental, Bolsonaro pode incentivar o desinvestimento e o cancelamento de acordos comerciais que seriam importantes para a recuperação econômica pós-pandemia.

 

Greenpeace

Em nota divulgada pelo Greenpeace, a entidade diz que o discurso negacionista de Bolsonaro “envergonha o povo brasileiro e isola o Brasil do mundo”. O texto destaca que o país já foi líder mundial no combate ao desmatamento, mas que desde que Bolsonaro assumiu segue no caminho para se tornar líder em desmatamento.

 

WWF Brasil

Gabriela Yamaguchi, diretora de engajamento da organização, divulgou uma nota criticando o que chamou de uma fala “cheia de acusações infundadas e ilações sem base científica” e citou como exemplo o ponto que Bolsonaro diz que as queimadas são provocadas pelos índios e caboclos. Gabriela destaca ainda que o presidente descreveu em seu discurso “um Brasil que não existiu em 2020, em completo negacionismo da realidade do país”.

 

Com informações G1