Dia do Bibliotecário

557
Compartilhar

A guardiã de livros

Jucimara Santos Vaz é bibliotecária na escola Osvaldo dos Reis, no bairro Várzea. Sob seus cuidados estão cerca de cinco mil títulos. Ali, naquele espaço, a servidora é feliz e sente-se realizada. Neste dia 12 de março comemora-se o Dia do Bibliotecário, uma profissão que para muitos, é um portal para um mundo de magia e muito aventura.

 

Cleyton Amaral

 

Ao contrário do que se pode pensar, o advento dos livros digitais, conhecidos como e-books, não ameaça bibliotecas, tampouco a profissão de bibliotecário, quem garante é a profissional dos livros Jucimara Santos Vaz. Atuando na profissão há 15 anos, a itapemense confessou à reportagem que desde criança era uma “devoradora de livros”.

Conversamos com Jucimara onde ela mais gosta, no seu jardim, repleto de livros. Os livros. Tantos livros. Tantas histórias esperando pacientemente para serem lidas. Tantas vidas, sonhos e desejos compartilhados. “As palavras saltam de cada página, nos fazendo viver aquela história de tal forma que, quando lemos, não sabemos mais quem somos. Se somos nós mesmos ou se somos só mais um personagem da história”, expressa com olhar de ternura a bibliotecária.

Jucimara é uma profissão experiente, tanto que criou uma ação pioneira em Itapema. Pensando em integrar todas as bibliotecas em banco de dados, a profissional junto com o setor de informática criou um sistema informatizado, mostrando assim que o exercício do bibliotecário vai muito, mas muito mais além de emprestar livros. Durante esses 15 anos, ela viveu e presenciou muita coisa dentro da biblioteca, entre elas um caso bem interessante.

“Uma vez, um livro com uma capa verde, meio surrado passava despercebido por muitos alunos, ficando parada na estante. Na capa, a imagem de um dragão. Até que um dia, um menino resolveu pegar para ler justamente pelo desenho de dragão. Mal sabia ela que a ilustração nada tinha a ver com o enredo da história. O livro era ‘O Meu Pé de Laranja Lima’, do genial José Mauro de Vasconcelos. Foi um verdadeiro caso de amor. O garoto leu praticamente toda a coleção do autor, isso me marcou muito”, conta a profissional dos livros.

“Você já reparou como o ambiente da biblioteca é acolhedor? Muitos dizem o contrário, mas eu afirmo que é o melhor lugar do mundo”, finaliza a bibliotecária.

Responsável pelo projeto “Leitura em Movimento” da Secretaria Municipal de Cultura de Campinas (SP). Na entrevista abaixo, Gláucia reforça o papel primordial da biblioteca na escola e na comunidade, além de apresentar sua visão sobre o futuro da leitura em meio ao progresso das ferramentas tecnológicas atuais.

Sobre o dia

Dia 12 de Março é Dia do Bibliotecário! O Dia do Bibliotecário é comemorado no dia 12 de março, porque era a data do nascimento do bibliotecário Manuel Bastos Tigre, que foi considerado o primeiro bibliotecário concursado do Brasil. Uma pessoa ao se tornar bibliotecário, faz um juramento onde diz as seguintes palavras: “Prometo tudo fazer para preservar o cunho liberal e humanista da profissão de Bibliotecário, fundamentado na liberdade de investigação científica e na dignidade da pessoa humana. ” Parabéns a todos os bibliotecários do Brasil!