“Dona Praiana” desativa linha alimentadora em Porto Belo

338
Compartilhar


Linha que ligava o centro da cidade à rodoviária, no bairro Perequê, já não está mais ativa. Concessionária quer um subsídio de mais de R$ 74 mil, além do aumento da passagem de R$ 4, para R$ 4,50. Passageiros reclamam do péssimo serviço prestado.

Da redação

A Auto Viação Praiana cumpriu o que publicou em sua rede social. Como as negociações entre a empresa e a prefeitura de Porto Belo não evoluiu, a concessionária retirou no último domingo, dia 06, a linha alimentadora que vinha do centro da cidade, até a rodoviária, no bairro Perequê. A empresa solicitou à prefeitura um subsídio mensal de mais de R$ 74 mil, além do aumento da passagem de R$ 4, para R$ 4,50. Prefeitura emitiu nota oficial se posicionando contra esta proposta.

NOTA OFICIAL – VIAÇÃO PRAIANA EM PORTO BELO


Diante das manifestações da empresa Praiana, responsável pelo transporte coletivo, sobre a desativação da linha Alimentadora (que faz o transporte de passageiros dentro do Município), o Governo de Porto Belo vem através desta, esclarecer a situação a toda a população.

Em divulgação nas redes sociais e imprensa, a empresa Praiana informa que a linha será desativada a partir do dia 06 de outubro, caso “as negociações com a Prefeitura não evoluam”.

Entenda o caso:

As “negociações” citadas tratam de novos reajustes no subsídio feito pela Administração Municipal e aumento na tarifa cobrada do passageiro. A empresa solicitou em julho deste ano o aumento do subsídio mensal para R$74 mil mensais, além de subir o valor da passagem para R$4,50. O Município não foi de acordo com a proposta.

No mês de setembro o Município fez contato com a empresa informando que não haviam condições de atender a solicitação no momento, levando em consideração o orçamento atual. Para não prejudicar a população, o Município se propôs a aumentar R$25.206,06 no subsídio, à ser somado no valor global do ano de 2019, ficando R$177.000,00.

A empresa apresentou uma outra proposta informando que poderia reduzir o valor inicial proposto para R$37.175,00 e aumentar a tarifa para R$4,25.

É impraticável o Município arcar com o valor de uma proposta de aumento de 200% com inflação do período de agosto de 2019 que ficou 3,43%, ou seja, não se justifica.

Atendendo a estimativa da receita, o aumento viável no momento é de R$15 mil mensais, sendo o valor global de R$180 mil.

O Município é totalmente contra o reajuste no valor da passagem, já que houve aumento em janeiro de 2017.