“Estava sempre batalhando pelos filhos”, diz amiga de mulher que morreu durante ciclone em Itaiópolis

1620
Compartilhar

Vítimas do ciclone

A moradora de Itaiópolis, Miraci Fernandes foi uma das vítimas dos estragos causados pela formação de um ciclone registrado em Santa Catarina nessa terça-feira (30). A mulher, que estava completando 37 anos no mesmo dia em que morreu, teve o carro atingido por uma árvore após a passagem do vento forte. Ela foi uma das nove pessoas que morreram em cidades catarinenses.

Miraci vendia planos de uma funerária da cidade do Planalto Norte e estava trabalhando no momento do acidente. Segundo a amiga Cleunice de Fátima Squioquet, 34 anos, essa era a maior qualidade de Miraci. Uma mulher guerreira, que batalhava independentemente das condições de tempo para conseguir sustentar os três filhos sozinha.

– Olha ontem, o tempo que estava, e ela estava lá trabalhando. Não interessava se fazia sol ou chuva, ela estava sempre batalhando pelos filhos, todos ainda pequenos”, pontua Cleunice.

Miraci desempenhava diversas funções para conseguir recursos para casa. Ela e a amiga Cleunice se conheceram há muitos anos por meio dos pais que foram funcionários públicos da prefeitura do município. Cleunice conta que estavam sempre conversando e compartilhando as novidades da vida.

A última vez em que Cleunice a viu foi na última quinta-feira (25), quando passou de carro por Miraci, que caminhava com a mãe. Cleunice buzinou, elas acenaram e a amiga viu, sem imaginar que seria pela última vez, o largo sorriso de Miraci.

– Ela vai ficar para sempre em minha lembrança pela mulher esforçada que era. Ela vai fazer muita falta. Não me conformo de ter acontecido isso com ela. Infelizmente ela estava justamente no lugar errado e na hora errada – lamenta a amiga.