Falta de incentivo pode levar companhia aérea a cancelar voos em Santa Catarina

147
Compartilhar

Voando…

Um e-mail do diretor de Alianças e Distribuição da Azul Linhas Aéreas preocupou a cidade de Lages nesta semana. Nele o diretor Marcelo Bento Ribeiro informou que a companhia pode cancelar os voos regionais em Santa Catarina, caso o Governo do Estado não renove os incentivos que atualmente colocam o combustível das aeronaves com alíquota de 3,49% no Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O acordo, segundo o diretor da Azul, vence em março, e se não for renovado, o ICMS será de 17%, o que tornaria inviável manter as operações.

A notícia vem logo depois da divulgação de que Lages iria receber mais um voo com destino a Curitiba. Atualmente o aeroporto da cidade tem voos diários para São Paulo. A companhia aérea opera em 103 cidades do Brasil, das quais, seis em Santa Catarina: Florianópolis, Navegantes, Joinville, Chapecó, Jaguaruna e Lages, com negociações avançadas para entrar também em Caçador. No e-mail, o diretor da companhia afirma que esta malha só é possível graças à política de incentivos à aviação regional vigente no Estado.

“Por poder contar com uma alíquota de ICMS de 3,49% sobre o combustível no Estado, a Azul pode ir desenvolvendo e ampliando a sua malha regional porque as operações a partir de Santa Catarina têm custo reduzido, pois a economia gerada nos voos a partir das maiores cidades catarinenses permite um subsídio cruzado na sustentação de rotas regionais, usualmente deficitárias”. – esclarece.

Caso o incentivo não seja mantido pelo governo catarinense as operações devem ser suspensas em Santa Catarina.

“Temos atendido aos propósitos de desenvolvimento da economia catarinense de forma clara e objetiva, e imprescindível para os cidadãos das comunidades atendidas. Tal missão não pode ser interrompida abruptamente pela expiração de nosso atual acordo, em março de 2019. Esperamos que tais providências possam ocorrer em tempo, evitando que tenhamos que recorrer ao cancelamento de voos regionais, especialmente aqueles servindo Jaguaruna e Lages, além da interrupção dos planos de servir Caçador”. – de Alianças e Distribuição da Azul Linhas Aéreas.

Em Lages a Associação Empresarial de Lages (Acil), foi acionada para que a entidade junte-se à causa e reforce a mobilização da Prefeitura para tentar evitar que operações que começaram em 2016 parem.

O governo do estado, por meio da assessoria, informou que está estudando um projeto para conceder benefícios para a aviação, com isonomia, para estimular principalmente os aeroportos regionais.