Floripa Convention lança manifesto em prol da retomada planejada do segmento de evento

296
Compartilhar

O Floripa Convention e Região é uma entidade formada por empresas do segmento de turismo de Florianópolis e Região e que visa o desenvolvimento socioeconômico do destino por meio do aumento do fluxo de visitantes através da promoção do destino e apoio e captação de eventos que tenham como foco o ambiente corporativo e social.

Desde o início da quarentena, o segmento de eventos está parado! Entre cancelamentos, suspensões e adiamentos, o setor no Brasil está completamente estagnado. Com agendas vazias, empresários alternam entre minimização do prejuízo nos próximos meses e esperança de retomada no segundo semestre, sendo este, exatamente o mesmo cenário para as empresas de SC e da Grande Fpolis.

Dessa forma, o Floripa Convention e Região lança manifesto em prol da retomada planejada e segmentada do setor de eventos. “Precisamos que os órgãos competentes – seja na esfera estadual e/ou municipal, deem voz para as entidades do segmento. O que estamos vivenciando é que o grande guarda-chuva do segmento de eventos foi classificado*de maneira única, sem escalonamento, sem diferenciação entre os eventos de pequeno e grande porte, os corporativos e os sociais. Precisamos e solicitamos que seja realizada está distinção! Há pouco, tivemos algumas liberações, de alguns setores econômicos, que já equivalem a pequenos eventos, contudo, a nossa cadeia produtiva do setor de eventos continua parada”, destaca Humberto Freccia Netto, presidente do Floripa Convention e Região.

O presidente do Convention ainda destaca que o setor de eventos na Grande Florianópolis está em colapso, afundando no caos. “Entendemos a gravidade do momento, mas é preciso também que possamos estruturar um calendário para o setor de eventos e apresentar protocolos rigorosos para a retomada; as medidas precisam ser adotadas com urgência, sob pena de que mais empresas fechem seus negócios, ampliando, ainda mais, o cenário de desempregos”.

O manifesto é divido em três capítulos:

– reivindicações de diferenciações dos patamares de eventos;

– criação de cronograma para retomada gradual e urgente e

– aprovação do protocolo de segurança para realização de eventos liderado pelo trade.

A entidade já possui uma proposta (protocolos e datas), para apresentar aos órgãos competentes para possibilitar a reativação deste segmento. Tratativas nas esferas municipais foram iniciadas, no entanto, sem avanços e resultados práticos até o momento.