Inaugurou uma, esqueceu da outra

1002
Compartilhar

#abandono #educação #desleixo

Prédio que abrigava a Escola Municipal Luiz Francisco Vieira, no bairro Ilhota, em Itapema, está abandonado e largado às traças. Um verdadeiro desrespeito com a comunidade do bairro Ilhota, que poderia usufruir do local para atividades aos finais de semana, já que o bairro também sofre por não ter praças e áreas de lazer.

Cleyton Amaral

A impressão que dá é que a nova Escola Municipal Luiz Francisco Vieira, no bairro Ilhota, foi inaugurada a toque de caixa. Mesmo após dias de sua inauguração oficial, muita coisa ainda faltava fazer. Muitos pais reclamaram com nossa reportagem, pois os alunos continuavam a estudar em meio às obras.

Entretanto, o problema maior é com o total descaso com os prédios públicos do município.  A atual administração parece não se importar com a memória histórico-cultural, haja vista, inúmeras escolas e CMEIS que estão abandonados, isso sem falar em monumentos históricos, como o Mural Berto Santeiro.

Como exemplo, apresentamos um dos casos de abandono: o prédio que abrigou por anos a única escola do bairro Ilhota. Desde a sua desativação, o prédio virou terra de ninguém. Apesar de existir um cadeado no portão, o acesso ao interior da antiga escola é fácil e simples.

Nossa equipe de reportagem foi averiguar a situação e se deparou com uma cena de verdadeiro ABANDONO e DESLEIXO. Algumas portas das salas estão abertas, servindo de local para usuários de drogas, além da marginalização do ambiente. O mato tomou conta de boa parte da escola, o cenário é degradante.

Nossa reportagem conversou também com alguns moradores que se mostraram preocupados com a situação do local, pois o prédio onde muitos deles estudaram, hoje, está nessa situação de descuido. “Engraçado é que inauguraram a nova escola e esta, simplesmente esqueceram. Estudei aqui e tenho boas lembranças, toda vez que passo por aqui, vejo com muita tristeza com o relaxamento da prefeitura”, argumenta uma moradora.

Prefeitura não se manifestou

Nossa reportagem entrou em contato com a prefeitura de Itapema para saber se há um projeto de recuperação do local, mas até o fechamento desta edição, a assessoria de Nilza Simas, não retornou as ligações.