Itapema: terra dos alugueis “quase impagáveis”

145
Compartilhar

Mercado imobiliário

Alugar uma quitinete com alguns m² em nossa cidade pode custar mais que um salário mínimo por mês. Isso sem contar nas exigências: Não pode cachorro. Não pode filhos. Não tem garagem. Não tem móveis. Não pode barulho. Não pode, não pode e não pode…

Cleyton Amaral

Passada a loucura dos alugueis verão, onde muitos itapemenses conseguem tirar uma renda extra para ajudar na baixa temporada, muitos outros itapemenses, que dependem de aluguel para morar o ano inteiro estão enfrentando um verdadeiro martírio para alugar um imóvel. Imagine o primeiro cenário: pai de família com dois filho e esposa. Ele, trabalhador da construção civil, faixa salarial entre R$ 1 mil a R$ 1,5. Pagando R$900 a R$ 1mil de aluguel. Isso sem contar nas tarifas de luz, água, telefone, internet. Como equacionar esta conta? Esta, infelizmente, é a condição de grande parte dos trabalhadores e de pessoas que vem para Itapema em busca de progredir na vida.

Agora imagine o segundo cenário: Uma família onde o pai e mãe conseguiram, ao longo de uma vida, juntar um patrimônio de duas quitinetes para ter uma aposentadoria mais tranquila. Mérito do casal. Claro que como dono dos imóveis, eles pensam sempre em zelar pelo bem quando vão alugar. Deixando algumas restrições como crianças pequenas, animais, fumantes e etc… Isso no melhor cenário, pois se a casa é deles, natural que façam exigências.

Esta é uma questão onde não há certos ou errados. O bom senso deveria prevalecer. Apesar de muitas casas, apartamentos e até mesmo quitinetes não tem espaço ou mesmo condição para receber animais, crianças…. Entretanto, os anúncios, especialmente em redes sociais aqui na nossa cidade, boa parte dos imóveis tem sim condições de receber animais ou crianças… quem tem imóvel precisa do dinheiro do aluguel para ajudar nas despesas. Quem precisa alugar, também precisa ter um local onde morar. É UMA FACA DE DOIS GUMES!

Realidade

A leitora e moradora, Fernanda Almeida Assis, expressa sua opinião, levando em conta também os baixos salários. “’muito bom trazer à tona assuntos como este. Uma interessante discussão. Todos nós somos refém do capitalismo e, infelizmente, temos que nos adequar a nossa realidade. Se temos animais de estimação, soma nos gastos, filhos, soma nos gastos, carro, soma nos gastos…ainda mais o aluguel?!? Numa cidade turística, com poucas possibilidades de emprego… também passo por isso e me adequei a minha realidade, estou a mais de 1 ano sem carro, por exemplo… os proprietários de imóveis também não têm como investir nos imóveis aqui e se beneficiar menos que outros investimentos. Quem sabe possamos focar nos empreendedores da cidade pagarem salários dignos aos seus funcionários, porque o salário nessa cidade é um absurdo. Enfim, adaptação é a nossa realidade”, escreve a estudante de psicologia.

Aluguel comercial

Já a leitora e comerciante, Jeane Cristina Risso, reflete a discussão na área comercial. “O aluguel comercial (meu caso) é abusivo, pagar de R$ 5 a 8 mil numa sala comercial na Meia Praia, precisa-se vender muuuuuito para conseguir manter, pois as temporadas não são mais como em alguns anos atrás em que “se guardava dinheiro no balde”. Turista até vem, mas se depara com a exploração nos alugueis e nos serviços e procuram alternativas (e estão certos). A cidade é turística, precisa investir neste setor, mas precisamos ter outras formas de gerar emprego para o inverno que é longo. A cidade vive praticamente do comércio e construção civil, não tem indústrias. E população sem emprego não consegue pagar aluguel”, enfatiza.

O que dizem os profissionais

Nossa reportagem também entrou em contato com algumas imobiliárias na cidade. Uma delas foi a VR IMOVEIS – Vera Reichert – Corretora de Imóveis e Avaliadora de Imóveis. Na opinião da profissional, na alta temporada a procura e maior para anual porem é de grande dificuldade encontrar imóveis disponíveis, devido aos proprietários preferirem o aluguel de veraneio, na expectativa da alta temporada, que muitas vezes não acontece. Já na baixa temporada, há uma dificuldade na locação, pois nosso município recebe uma demanda grande de pessoas circulantes. Devido a esta rotatividade (muitas famílias vêm em buscas de sonhos, achando que no litoral a vida seria mais fácil, e percebe que aqui também existem dificuldades, às vezes até maior, aluguel alto e salários baixos.). Por exemplo, a minha imobiliária exige um fiador, que pode inclusive ser de outra cidade. Em relação a caução, ele se dá devido às inadimplências, especialmente com água e luz, e que no final do contrato e consultado dívida deixada no imóvel, se não houver dívida no imóvel este caução retorna ao locatário). No que tange aos pets, não vejo necessariamente com um empecilho (muitos dos nossos imóveis aceitam), vale ressaltar que (aqueles que não aceitam) não são as imobiliárias que fazem essas exigências, mas, sim, os proprietários e como prestamos um serviço, acatamos a determinação”, pondera a corretora que possui uma imobiliária na rua 228, sala 07, número 205, no bairro Meia Praia.

Rafael Kreutz, que possui uma imobiliária em Porto Belo também comenta a enquete. “Realmente o aluguel não está fácil para ninguém. O proprietário que tem seu imóvel avaliado em R$ 500 mil, não consegue 0,5% de locação, o que significa que é um ótimo negócio deixar aplicado na poupança porque rende bem mais. Por outro lado, o inquilino não consegue pagar pelo alto valor e pelas exigências. Pois bem, briga que segue…… conheço inúmeras pessoas que abrem mão de “morar na praia” para viver em cidades vizinhas. Assim como fazem cidadãos de grandes centros que fazem 50km para trabalhar”, relata o profissional.

Fala, povo!

Fernanda Santos Santos – É um absurdo. Os alugueis nessa cidade. Uma renda de R$ 1,5 mil e você paga R$ 1 mil de aluguel, mais R$ 150 de água, mais R$ 100 de Luz e fica R$ 250 para fazer um rancho. Será que as pessoas que alugam conseguiriam se manter com isto o mês todo?

Paulo Sérgio Santos – Se eu sou dono do meu imóvel, acho que tenho direito de estipular o valor do aluguel e fazer minhas exigências, ou será que estou errado?

Marcos Rosemeri Agostinetto – Acho que é um absurdo. Se eu tivesse um imóvel alugaria por R$ 500!  Sim, porque tem muito Pai de família que ganha um pouco mais que um salário mínimo. Muitas vezes com criança de colo, é melhor alugar com um preço mais em conta do que ficar o ano todo com o imóvel vazio.

Bruno Moura – Absurdo os valores dos alugueis sim. Cada um coloca o preço que quiser, mas não se ganha tão bem por aqui. Assim para pagar numa kitnet R$ 900 ou R$1 mi fica complicado. Acho que os alugueis teriam que ser preço tabelado por tamanho do imóvel.

Pitika Adriana Pitika – Não podemos esquecer que a maioria que dependem de aluguel são assalariados. E por eles que existe progresso, pois são a mão de obra da cidade. A maioria dos comentários defendendo o aluguel alto, são pessoas que são privilegiadas com bons ganhos mensal. Sem estas famílias não teríamos Construções, enfim… a cidade anda porque depende dos mais humildes. Ou alguém já viu alguma construtora trabalhando somente com robôs?

Laudelina Oliveira -Eu aluguei esse ano. Mas faço exigência a casa é minha conseguida com muito custo…uma aluguei com uma criança e uma cachorrinha A criança estuda o dia todo As horas que está em casa não escuto a voz dela…a cachorra é de apartamento é um amor não late não faz barulho.