Livro vai contar o começo da povoação oficial de Itapema

356
Compartilhar


Entre 1821 a 1823, foram doadas quase 100 sesmarias para povoação do Litoral Norte de Santa Catarina. Fazia parte do plano de expansão da Colônia Nova Ericeira, fundada em Porto Belo, em março de 1818. A localização das terras e os nomes dos proprietários vão estar no livro “1818 — A história da colônia criada por Dom João VI que foi alvo de disputa entre brasileiros e portugueses no século XIX”, de autoria do jornalista Rogério Pinheiro. A obra será lançada no dia 26 de novembro, às 19h30, na Livraria Catarinense do Itajaí Shopping.

Em Itapema, foram doadas pelo governo português três sesmarias. Apesar de existir moradores antes de 1821, a iniciativa foi a primeira de povoamento oficial de Itapema. O livro vai mostrar também que por trás da expansão da colônia, a doação das sesmarias escondia o propósito de criar um reduto eleitoral para o grupo político que comandou a Nova Ericeira na década de 1820.

No império, o voto era censitário e apenas uma pequena parcela masculina (formada por fazendeiros, funcionários públicos, militares e religiosos) estava apta. A população escrava, índios, mulheres, idosos e analfabetos não faziam parte do processo eleitoral. Esses poucos privilegiados eram conhecidos por “cidadãos votantes”.

Com a criação da Nova Ericeira em 1818, o grupo político começou a tirar os tais “cidadãos votantes” de Desterro (antigo nome de Florianópolis) e transferi-los para as terras da Nova Ericeira junto com os outros colonos. Em 1824, a colônia foi extinta e esses mesmos “cidadãos votantes” permaneceram em Itapema e acabaram por movimentar a economia da região.

A Nova Ericeira

A Nova Ericeira foi criada oficialmente no dia 25 de março de 1818, na Enseada das Garoupas. Mais de 400 pessoas vieram da Ericeira (Portugal) para povoar o litoral catarinense entre Governador Celso Ramos e Barra Velha. Sendo um projeto do governo português, a Nova Ericeira foi extinta após a Independência do Brasil. Além de Itapema, outras 11 cidades fizeram parte da colônia.

O principal legado deixado pela Colônia Nova Ericeira pode ser encontrado hoje na pesca. Os colonos ericeirenses trouxeram técnicas pesqueiras que foram passadas de geração em geração. A mão de obra qualificada no setor foi fundamental para o desenvolvimento pesqueiro catarinense.

Ericeira

Local de passagem e instalação dos fenícios há 1000 antes de Cristo, a Ericeira é uma vila turística situada a 35 km a noroeste do centro de Lisboa. Ericeira significa “terra de ouriços”, devido aos numerosos ouriços-do-mar que podiam ser encontrados nas suas praias. O primeiro documento que faz referência à pesca é de 1229, quando foi criado o município da Ericeira. A Ericeira hoje é um dos principais destinos turísticos de Portugal. A vila é a única Reserva Mundial de Surf da Europa e a segunda do planeta (a primeira foi criada em Malibu, Califórnia, Estados Unidos).

Pesquisa

Para produzir o livro-reportagem foram analisados mais de 10 mil documentos, entre registros paroquiais, periódicos, artigos e livros. Em Portugal, foram realizadas pesquisas in loco no Arquivo da Torre do Tombo em Lisboa, no Arquivo Público Dom Pedro V em Mafra e da Santa Casa de Misericórdia da Ericeira. No Brasil, as pesquisas foram centradas nos arquivos públicos do Estado de Santa Catarina, Municipal de Florianópolis e Municipal de Itajaí, além do acervo digital da Biblioteca Nacional e da Hemeroteca Catarinense.

O autor

Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Rogério Pinheiro é paulista da cidade de Guarujá (SP), mas reside há mais de 20 anos em Navegantes (SC). Já trabalhou em jornais e rádios do litoral norte catarinense. É autor do livro “A Nova Ericeira” e dos documentários “Ericeira: um mar de história” e “Navegantes”. Trabalha atualmente como produtor cultural, pesquisador e editor independente.