Novo vírus da DENGUE é descoberto em Itapema

860
Compartilhar

Alerta Geral

Identificado como Den-2, este novo vírus pode ser ainda mais agressivo que os demais, além de poder atingir até as pessoas que já tiveram dengue. Dos 26 casos registrados na cidade neste ano, 25 deles eram deste novo sorotipo.

Cleyton Amaral

A dengue é um grave problema de saúde pública muito conhecido pelos itapemenses. Somente neste ano, nosso município teve 26 casos confirmados, porém, a notícia tornou-se ainda mais preocupante depois da descoberta de uma nova mutação do vírus, que, por enquanto, só existe por enquanto aqui. Itapema foi a primeira identificada com a variação de sorotipagem DENV-2 no Estado. Dos 26 casos autóctones, ou seja, contraídos no próprio município, 25 deles tinham esse sorotipo. O Den-2 identificado e acende o alerta para o risco de contaminação _ com novo tipo de vírus circulando, até mesmo quem já foi infectado uma vez pode ficar doente novamente.

Sobre o novo vírus

De acordo com a Vigilância Epidemiológica de SC, há alguns estudos mostrando que casos de Den-2 podem ser um pouco mais graves, mas não é isso que define a gravidade do quadro. São fatores pessoas, como imunidade e o manejo clínico do caso. A sintomatologia é a mesma, com febre, dor de cabeça e dor no corpo, entre outros. Como há pequenas diferenças entre os sorotipos, quem pega uma vez fica imune só contra aquele tipo.  São quatro sorotipos diferentes, por isso uma pessoa pode pegar dengue quatro vezes na vida. Nem todos se consegue identificar, só daqueles em que se faz a coleta nos primeiros dias. As amostras são encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública, o Lacen, que identifica qual o sorotipo.

Ações na cidade

Depois do surto de dengue na cidade neste ano, o número de agentes de combate ao mosquito aedes aegypti aumento. Joane Rodrigues Paz, coordenadora do Programa de Controle da Dengue, diz que desde que o trabalho foi intensificado não foram registrados novos casos da doença. De acordo com a profissional, este novo vírus surgiu veio com o mosquito em caminhão de uma marmoraria que trazia material do Espirito Santo. O último caso registrado da doença foi em junho, dos 26 casos confirmados em 2018, 25 deles era deste novo vírus. Conforme explicou Joane, neste próximo sábado, dia 24, vai acontecer o “Dia D”, com orientações no bairro Meia Praia e na próxima semana acontece a Semana de Mobilização, com atividades nas escolas e rodas de conversas nas salas de esperas do município.

Orientações para evitar proliferação do Aedes aegypti:

– evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

mantenha lixeiras tampadas;

deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

mantenha ralos fechados e desentupidos;

lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

retire a água acumulada em lajes;

dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;

mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;

denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento

Fala Povo…

Adilson João Troian – Nós, moradores e proprietários de imóveis de Itapema, precisamos nos conscientizar sobre o acumulo de águas paradas responsabilidade e conscientização e respeito!

Ana Paula Reali – Muitas casas fechadas, casas com piscinas inclusive. Moro na rua 414 e na rua 412 tem uma casa com piscina a água está podre.

Jenifer Alexandre – Itapema está infestada de mosquito, dentro de casa mesmo fechando tudo cedo não adianta. Meia praia está horrível. Peguem essa gurizada do quartel e bota na rua bater de casa em casa revirar os terrenos façam algo… não adianta só perguntar e não fazerem nada.

Nato Adri – Muitos lugares sujos, águas paradas e as pessoas não fazem nada, não tão nem aí depois que pega a dengue vai para o hospital com medo, mais são relaxados! Não cuidam a própria casa, se cada um fizer seu papel não iria existir esse mosquito Maldito! Cada um faz a sua parte que termina com as Sujeiras, lixos Águas paradas e principalmente com o Mosquito!!

Micheli Moreira Fialho – Também com tantas valas abertas só pode mesmo, sem contar que a “fiscalização “só tem nome porque na verdade, não prestam nenhuma assistência, só chegam e perguntam se tem plantas em vaso, dão o cartão e vão embora; tinha que chamar esse vírus de DESCASO COM ITAPEMA isso sim!