Patinação e inclusão

509
Compartilhar

Amor à primeira vista. Foi assim com a estudante itapemense Hanna Karoline Kuhl com a patinação. A aluna do Educar foi campeã da Copa Mercosul da categoria paradesportivo de 8 a 9 anos. Ela tem autismo e em cima dos patins, encanta e deslancha como uma grande promessa do esporte.

Cleyton Amaral

Se para você andar de patins é coisa de criança, pode ter certeza disso. Uma prova é a aluna do Educar, Hanna Karoline Kuhl, que foi campeã da categoria paradesportivo da Copa Mercosul, realizado no mês passado, no Rio Grande do Sul. A estudante é o orgulho da família e da classe de aula. A patinação entrou na vida de Hanna para mudar seu comportamento.

Hanna chegou a Itapema ainda recém-nascida. A mãe, Simone Kuhl, conta veio morar com os pais para ajudar na criação da única filha. Com o passar do tempo, tanto os avós como a mãe perceberam que algo estava diferente com a pequena. “Ela chorava muito durante a noite, mas as pessoas me diziam que era inexperiente, coisa de mãe de primeira viagem, mas, no fundo, sentia que algo estava errado. Quando matriculamos ela na creche, os problemas ainda persistiam. Ela mordia muitas crianças, era difícil de se adaptar. Foi no Educar, quando Hanna estava na primeira série, que as professoras me alertaram para ir a um especialista, onde foi detectado o autismo”, conta a mãe.

Patins veio para somar

“Hanna descobriu os patins em uma escolinha, com a professora Daniele, que tem especialidade em crianças com autismo, foi amor à primeira vista. Depois descobrimos que a professora também dava aula no Educar e nisso já se passaram três anos desde que os patins entraram em nossas vidas”, conta a mãe. As professoras de Hanna também contam que depois que ingressou na patinação, um novo mundo se abriu. “Até a postura com os coleguinhas, a concentração em sala de aula mudou para melhor. A patinação é um esporte em que traz diversos benefícios à saúde para qualquer pessoa desde crianças até indivíduos mais velhos. No caso de Hanna, com o autismo, ela pode se sentir mais incluída”, diz a professora de apoio.

Campeonatos

Entre os giros que demonstram a leveza e o ritmo de uma dançarina e os movimentos rápidos, fortes e cheios de equilíbrio de uma atleta, encontra-se a encanto pela performance dos patinadores artísticos. Hanna vem se destacando nas competições. No mês de setembro, a estudante conquistou terceiro lugar no Campeonato Catarinense de Patinação Artística. Esta competição aconteceu no dia (16/09) no Sesc em Florianópolis. No mês de outubro, a grande vitória, Hanna conquistou mais uma medalha. Desta vez ela foi campeã da Copa Mercosul na da categoria paradesportivo de 8 a 9 anos. A competição foi realizada no dia (13/10) na cidade de Campo Bom, no Rio Grande do Sul. “Parabéns a nossa estudante, a técnica e toda a equipe da escola Educar. Isso demonstra que inclusão sempre dá certo”, destacou a Secretária de Educação, Alessandra Simas Ghiotto.