Plano Real: saiba como esse plano salvou a economia brasileira

326
Compartilhar

#26 anos

Em tempos de inflação controlada, não é possível imaginar uma marcação diária de preços em estabelecimentos. Contudo, era essa situação que o Plano Real buscou combater, na qual o aumento percentual de preços chegava aos dois dígitos em um único mês.

 

Para reduzir a hiperinflação, o Plano Real instituiu a nova moeda oficial brasileira, o Real. Além disso, o plano também introduziu uma série de medidas econômicas para permitir a contenção de preços e a retomada do crescimento.

 

O que foi o Plano Real?

O Plano Real foi um plano econômico, implementado em 1994 pelo governo Itamar Franco, que tinha como objetivo estabilizar a economia brasileira e promover o fim da hiperinflação no país, após um período de grandes dificuldades econômicas para o Brasil.

Destaca-se também que foi depois da implantação completa do plano que o Real se tornou moeda oficial brasileira, no dia 1° de julho de 1994.

A nova moeda começou a ser arquitetada no governo de Itamar Franco, pela equipe do ex-presidente e então Ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso.

O Plano Real foi necessário principalmente por conta de uma série de pacotes econômicos que o precederam e que foram mal-sucedidos. Tais como o congelamento de preços e o Plano Collor. À título de exemplificação, as políticas econômicas mal sucedidas e anteriores ao Plano Real levaram o Brasil, ainda no ano de 1994, a ter uma inflação de 46,58% ao mês. Nesse período, a moeda em vigor era o Cruzeiro Real, a última antes da adoção da atual moeda brasileira.

Então, após a adoção do Real como moeda oficial e depois da implementação das medidas do plano, o Brasil conseguiu atingir a estabilização econômica de forma extremamente eficaz. Com isso, a inflação foi controlada e o poder de compra da população pôde ser ampliado.

Esse êxito do programa resultou em um grande aumento da popularidade de Fernando Henrique Cardoso, o principal responsável pelo Plano Real. A consequência foi a eleição de FHC como Presidente do Brasil no mesmo ano do programa, em 1994.

E além de FHC, outros criadores do Plano Real também tiveram fundamental importância no projeto. Alguns desses participantes foram os economistas: Edmar Bacha, Persio Arida, André Lara Resende, Gustavo Franco e Pedro Malan.

Esses economistas responsáveis pelo Plano Real definiram que o mesmo seria conduzido em três fases principais. O conjunto dessas etapas foi fundamental para o sucesso do plano de 1994.

 

Mas como esse plano foi criado e como conseguiu obter tanto êxito economicamente?

 

Como o Plano Real foi criado?

O Plano Real foi criado com o propósito principal de conter a hiperinflação brasileira, que aumentava mais a cada dia. A tormenta do aumento descontrolado dos preços era reflexo de políticas econômicas mal sucedidas que antecederam o Plano Real.

Apesar de nos dias de hoje ouvirmos comumente no noticiário econômico a preocupação dos economistas ao redor do mundo com relação à inflação, nada se compara à espiral de aumentos de preços que o Brasil passou no início da década de 90.

Para se ter uma ideia, preços de bebidas chegavam a ter até 5 casas numéricas, como pode ser visto na imagem abaixo.

Economia brasileira antes do Real

Aqueles que viveram durante a década de 90 se lembram do descontrole econômico da época. Os aumentos de preços cada vez mais altos faziam com que as pessoas simplesmente perdessem a noção do valor das mercadorias.

Era como uma grande corrida, em que estavam todos contra todos tentando se proteger da hiperinflação. Isto é, pessoas tentavam descontroladamente comprar mercadorias o quanto antes, com medo da desvalorização da moeda. Nessa época não era incomum encontrar prateleiras de supermercados vazias e filas em postos de gasolina. Também não era surpresa encontrar preços completamente diferentes em estabelecimentos distintos no mesmo dia.

 

Hiperinflação: entenda como funciona esse fenômeno econômico

Hiperinflação: entenda como funciona esse fenômeno econômico

Por conta dessa desvalorização do valor do dinheiro, o Brasil precisou alterar a sua moeda oficial algumas vezes. Algumas das moedas brasileiras antes do Real foram as seguintes:

 

Cruzado (1986);

Cruzado Novo (1989);

Cruzeiro (1990);

Cruzeiro Real (1993).

 

Essa troca contínua era necessária para possibilitar o ajuste de preços na economia. Tudo isso devido ao descontrole do valor real da moeda. Para se ter uma ideia, a inflação, em junho de 1994, chegou a casa dos 46,58%, a maior registrada no período.

Além disso, a alta dos preços da época tendia a prejudicar em maior medida a população mais carente, que não possuía proteção contra a hiperinflação. Esse efeito contribuiu para o aumento da pobreza no período e para o aumento da desigualdade social no país.

 

A criação do Plano Real

Após tantos planos e tentativas de retomar o crescimento do país e de reduzir a inflação, finalmente, o Plano Real conseguiu obter o êxito que os outro não obtiveram.

O resultado alcançado pelo plano econômico foi tão positivo que o idealizador do Plano e então chefe do Ministério da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso (FHC), conseguiu se eleger presidente em primeiro turno.

Destaca-se que o Plano Real foi lançado em 1994 e que foi capaz de reduzir drasticamente a inflação e de permitir a estabilização econômica do Brasil. Isto abriu portas para o crescimento do país. Todo esse resultado obtido foi capaz sem a antiga estratégia de congelamentos de preços. Para isso, a equipe do Plano Real estabeleceu uma sequência de etapas para o projeto, o que foi essencial para o seu sucesso.