Polos de EAD criam associação para fortalecer o setor

229
Compartilhar

Entidade nasce representando mais de 150 unidades presenciais que atendem 120 mil alunos em todas as regiões do país

 

Uma nova entidade acaba de nascer para representar um setor da economia que cresceu durante a pandemia: o ensino a distância. A Associação Brasileira de Polos de Ensino a Distância (ABPolos) foi criada para fortalecer as infraestruturas físicas de apoio ao modelo não presencial de educação. De saída, representa 151 polos de ensino a distância pelo país, responsáveis pelo atendimento a 120 mil estudantes de todas as regiões brasileiras. O polo é o local onde acontecem as etapas presenciais obrigatórias do EAD, como provas, tutoria dos conteúdos e atividades nos laboratórios.

“A associação surgiu para encarar os desafios do mundo pós-pandemia de modo estruturado, para que possamos atender de maneira mais próxima os nossos alunos e também as instituições de ensino, que são nossas parceiras”, explica o presidente da ABPolos, Bernardo Knabben, que dirige três polos da Uniasselvi em Florianópolis. Entre os objetivos da entidade está reforçar a importância dos polos para a formação do estudante no EAD, pois eles são o local onde se desenvolve a dimensão social. “O polo é o local onde o aluno é recebido. É imprescindível para a qualidade do ensino e fundamental para o aprendizado e a integração do estudante ao ensino superior”, destaca o dirigente.

Uma pesquisa divulgada em abril pelo Google apontou um aumento de 130% na busca por especialização a distância durante o período de isolamento social na pandemia de Covid-19. No período de 2009 a 2018, o ensino a distância cresceu 145% no Brasil, de acordo com o Mapa do Ensino Superior divulgado em maio deste ano. Entre os cursos oferecidos, os que mais despertam interesse dos alunos são Pedagogia, Administração e Contabilidade, e a demanda cresce nas áreas de Saúde e Engenharia. A ABPolos foi fundada para melhorar a eficiência do setor através de ações como negociação coletiva com fornecedores e profissionalização da gestão dos polos. Além da promoção de cursos e seminários, está prevista para o primeiro semestre de 2021 a realização do 1º Congresso Brasileiro dos Polos de Ensino a Distância.

Regulamentado há 14 anos no Brasil, o EAD no ensino superior já supera em oferta de vagas o método presencial, impulsionado por mensalidades com preços atrativos, avanço da tecnologia de conectividade, economia com transporte, comodidade e flexibilidade de horários. De acordo com o Censo da Educação Superior realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em 2018 foram oferecidas 7,1 milhões de vagas a distância, contra 6,3 milhões de vagas presenciais – 13% a mais. Os números de 2019 ainda não foram divulgados pelo Inep.