Porto Belo está em estado de alerta por conta da falta de medicamentos na farmácia central

238
Compartilhar

 

Efeito da pandemia

As aquisições já foram feitas por parte da Secretaria de Saúde, mas as entregas têm sofrido atraso por conta da falta de matéria prima e do fechamento de laboratórios no Brasil e no mundo. Dos medicamentos antibióticos, tem faltado no Município a Azitromicina e a Cefalexina em comprimidos. Ambos os medicamentos já foram adquiridos, porém, há falta de matéria prima no mercado em decorrência do alto consumo desses itens na pandemia. Quanto aos medicamentos controlados, faltam a Amitriptilina, Ácido Valproico, na dosagem de 500mg, e Levomepromazina na dosagem de 100mg. As dosagens de 10, 20 e 40mg de Sinvastatina também estão em falta.

Todos os medicamentos aqui citados já foram adquiridos pela Secretaria de Saúde do Município de Porto Belo para abastecer a farmácia central e a entrega está prevista para a primeira quinzena de agosto.

Quanto aos medicamentos básicos, ainda há problemas com o Ácido Acetilsalicílico, que teve a produção nacional comprometida com o fechamento de um laboratório farmacêutico do nordeste e que era o maior fornecedor para o setor público. O Município de Porto Belo já adquiriu o medicamento de outro fornecedor, mas ainda não há previsão para que a produção volte à normalidade.

Somente no mês de julho, foram investidos R$ 235.134,00 na aquisição de medicamentos para atender as demandas das Unidades de Saúde e do Pronto Atendimento, principalmente no combate a pandemia da COVID-19.