Praiana anuncia que vai demitir todos os funcionários a partir de quinta

434
Compartilhar

Crise do Corona

Os funcionários começaram a receber comunicados da empresa informando que os trabalhadores seriam demitidos. Os ônibus estão sem circular desde 18 de março – início da pandemia da covid-19.

Da redação

Ontem, quinta-feira (13), a empresa Viação Praiana confirmou a demissão de mais de 130 funcionários, além daqueles 50 que já tinham sido demitidos deste o início da pandemia. As demissões são reflexo do esgotamento da Medida Provisória 936, do governo federal, que permitia a redução de jornada e de salários, e a suspensão do contrato de empregados, e a falta de previsão de retorno do transporte público na região.

Os ônibus estão sem circular desde 18 de março – início da pandemia da covid-19.

A empresa

Devido ao término da MP936 e a paralisação do transporte público no estado de Santa Catarina, viemos através desta informar que todos os colaboradores que estão com o contrato suspenso ou reduzido serão desligados da empresa a partir de amanhã”, informava a nota enviada pela direção aos funcionários.

A direção da Praiana ainda comunicou que, infelizmente, não tinha mais nada que pudesse ser feito para reverter ou amenizar a situação.

“Usamos todos os métodos que estavam ao nosso alcance, como as medidas disponibilizadas pelo governo, empréstimos bancários e societários, todos os recursos foram esgotados para mantermos esse passivo até agora”, disse a empresa.

A empresa ficou de repassar os agendamentos sobre o desligamento de cada funcionário. A Praiana está há 57 anos atuando no mercado e tem 220 funcionários registrados.

O sindicato dos Motoristas de Itajaí e Região (Sitraroit) informou que também recebeu o comunicado de vários funcionários, mas diz que aguardará uma posição oficial da Praiana nesta quinta-feira. “Vamos esperar sermos comunicado oficialmente da decisão pela empresa, ver qual a proposta, se vai pagar todo mundo certinho, aviso, 13º salário, férias, FGTS, seguro-desemprego. Acreditamos que eles irão acertar tudo direitinho, até pelo nome que eles têm no mercado e a história. A empresa sempre foi séria e sempre pagou certinho”, ponderou o secretário geral do Sitraroit, Carlos César Pereira.

Segundo a Praiana, não restou alternativa a não ser as demissões dos funcionários. “Infelizmente não há o que possamos fazer para reverter ou amenizar tal situação. Usamos todos os recursos possíveis para mantermos todos os custos e despesas nesse período, mas todos eles foram esgotados”, afirmou.

Nota da empresa

É com imenso pesar que anunciamos o desligamento de mais de 130 funcionários nesta quinta-feira, além dos 50 já demitidos desde o início da paralisação.

Lamentável tudo o que está acontecendo em nosso ramo de atividade. Sem ajuda alguma do Governo do Estado e das Prefeituras, não tivemos outra alternativa a não ser as demissões. Infelizmente não há mais nada que possamos fazer para reverter ou amenizar tal situação visando a retomada deste serviço tão essencial à nossa sociedade e honrar o direito de se locomover de nossos fiéis clientes.

Usamos todos os recursos possíveis que estavam ao nosso alcance, como as medidas disponibilizadas pelo Governo Federal, além de empréstimos bancários e injeção de capital próprio, para mantermos todos os custos e despesas desse período sem operação, mas todos eles foram esgotados.

Fomos iludidos a cada quinzena de que estaríamos autorizados voltar a trabalhar, assim preparamos todos os ônibus com dispositvos de álcool em gel, adesivos contendo informações sobre o embarque obrigatório usando máscara, higienização dos veículos a cada parada nas rodoviárias com pulverizadores de ar, mas tais decretos eram prorrogados, nos impedindo de operar. Chegamos no limite, são quase 5 meses parados por determinação dos governantes.

A família Praiana está em luto. São 57 anos de história, sempre prezando pelo bem-estar e qualidade de vida dos nossos colaboradores, muitos deles com mais de 20 anos conosco, mas infelizmente precisamos encerrar assim esse ciclo da nossa trajetória.

Reiteramos para nossos clientes institucionais atendidos através do serviço de fretamento que manteremos as operações com a mesma qualidade e respeito de sempre.

Esperamos que tudo volte ao normal o quanto antes e assim que estivermos autorizados voltar a trabalhar, saibam que estamos prontos, desde que seja viável e haja uma contrapartida financeira por parte do poder público, voltaremos a contratar e transportar nossos passageiros com excelência e segurança cumprindo a missão da empresa.