Preço da cebola em Itapema é de chorar…

496
Compartilhar

De arder os olhos…

Não é piada pronta, mas a cebola de fato está fazendo o itapemense chorar. E isto não está relacionado aos efeitos nos olhos quando a cortamos, mas, sim, pelo preço. Fomos em vários supermercados e feiras e constamos o aumento vertiginoso dessa deliciosa hortaliça.

Cleyton Amaral

A cebola é um tempero indispensável na cozinha. Porém está se tornando uma das principais vilãs das donas de casa. Sem reparar no preço que está em uma pequena placa posta atrás da bancada com as cebolas, as donas de casa mais desavisadas, que fazem as compras em supermercados e feiras de Itapema só percebem o “tombo” quando colocam o produto na balança, já no caixa. Aí, após verificar o aumento, só restam três opções: chorar – antes mesmo de cortá-la –, desistir da compra, ou reduzir a quantidade na comida. Por aqui, o preço médio do quilo da cebola está passando dos R$ 4,50

Dentre as três opções, a aposentada Maria Elza, 62 anos, escolheu a terceira. Reduziu a compra, levando para casa apenas três cebolas. Ficar sem o ingrediente, para ela e para muitas outras donas de casa, é quase impossível. A hortaliça vai no feijão, no arroz e na carne.

Mas o porquê do aumento

Esse cenário pode estar ocorrendo por causa da finalização da safra do Sul, que deve terminar a comercialização entre o fim de abril e até a metade de maio. Além disso, a produção da hortaliça no Nordeste foi afetada pelas chuvas, prejudicando a qualidade dos primeiros bulbos, resultando em um maior número de cebolas de menor calibre (caixa 2). Alguns produtores estão aguardando para comercializar suas cebolas, pois a expectativa para as próximas semanas é de que o produto tenha uma nova valorização, visto que o volume nacional não deve aumentar.

Comércio sofre: não tem como substituir o produto

O pior da alta no preço é que não dá para substituir a cebola. É isso o que diz quem trabalha com a hortaliça, como comerciantes e donas de casa ouvidos pela nossa reportagem. Em um supermercado varejista, um consumidor relatou que pelo preço está trocando a cebola branca pela roxa, pois a branca além de cara está em uma situação mais delicadas (podres). Muitos donos de restaurantes já sentem o efeito do preço na hora de produzir o cardápio do dia. Segundo alguns feirantes que conversaram com a reportagem, o preço da cebola deve se manter nesse valor, caso esfrie ainda mais, a tendência é só aumentar.