Prefeitura de Itapema alerta sobre vacinação em animais após cavalo ser contaminado com raiva

682
Compartilhar



 

Itapema registrou um caso de raiva em um cavalo no Bairro Várzea. O animal havia apresentado sintomas foi isolado e, após seu óbito, foi efetuada colheita do cérebro e medula. O material, enviado para diagnóstico no Laboratório da CIDASC em Joinville, resultou em laudo positivo para a doença.

 

As medidas para contenção do foco se estenderão aos municípios de Itapema, Balneário Camboriú, Camboriú, Porto Belo e Itajaí, levando-se em conta o raio de 12 Km a partir da propriedade foco, conforme determina o manual técnico do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para controle da raiva em herbívoros. “Nestes municípios, a vacinação para raiva nos herbívoros é obrigatória, ou seja, equinos, bovinos, ovinos, caprinos, asininos e muares devem ser vacinados”, informa Klaus Sehn Korting, médico veterinário responsável pela Unidade Veterinária Local da CIDASC de Itapema.

 

Klaus ainda orienta que os animais primovacinados, ou seja, que nunca receberam nenhuma dose da vacina, deverão ser vacinados imediatamente e receber o reforço 30 dias após a primeira dose. Independente de existir foco de raiva ou não, a vacinação antirrábica faz parte do calendário anual de vacinação dos herbívoros.

 

Os produtores devem guardar o comprovante da vacinação, seja ele a nota fiscal, frasco da vacina preservando o número do lote ou carteira de vacinação emitida por médico veterinário. Segundo Cleverson Fiamoncinci Cordeiro, Gestor de Defesa Agropecuária do Departamento Regional da CIDASC de Itajaí, “O arquivamento da comprovação da vacina é fundamental para que seja possível analisar a cobertura vacinal do rebanho pertencente à área focal e perifocal, auxiliando assim na tomada de decisões frente à ocorrência.

 

O foco será considerado controlado somente se nenhum outro animal apresentar sinais clínicos da doença após a sequência de 90 dias a partir da morte do último animal positivo”. Reforça ainda, que a vacinação é a maneira mais eficaz de se evitar a infecção dos animais pelo vírus da raiva.

 

A CIDASC orienta que todos os produtores rurais devem ficar em alerta para observação dos seus animais. Caso algum deles apresente dificuldade para caminhar e se alimentar, salivação excessiva e paralisia, um médico veterinário deverá ser consultado. Outra atitude importante é imediatamente entrar em contato com o escritório da CIDASC mais próximo para notificar a suspeita de ocorrência de raiva. Notificações também podem ser encaminhadas para o Departamento Regional de Itajaí pelo telefone (47) 33986619.

 

Ações locais

 

Em uma reunião realizada na tarde desta quinta-feira (09/04) com a presença de representantes da Fundação Ambiental Área Costeira, Departamento de Agricultura e Pesca, Departamento de Vigilância Epidemiológica, ficou definido que será realizada o levantamento nos animais em um raio de 300 metros local para aquisição e disponibilização da vacinação de forma gratuita pelos próximos dias. Em caso de dúvidas entrar em contato com o Departamento de Agricultura e Pesca pelo telefone (47) 3267-1594 ou no Abrigo Municipal de Cães e Gatos (47) 3267-1533.

 

 

*Com informações da Assessoria de Imprensa da CIDASC