Reciclando parcerias

385
Compartilhar

Reportagem especial

De latinha em latinha, seu Zeca Amaro, do bairro Casa Branca, em Itapema leva o sustento para casa e ainda faz muitas amizades.

 

Juliana Hexsel, especial

 

Férias para uns, muito trabalho para outros. Para muita gente esta época do ano é sinônimo de descanso e lazer. Mas tem gente que aproveita o movimento no litoral para dar um reforço extra no bolso.

 

É o caso de seu Zeca Amaro, que começou a jornada de trabalho na orla de Itapema por volta das dez e meia da manhã. Agora são oito horas da noite, e ele continua firme, na lida.

Ainda há muito trabalho pela frente. Nem mesmo a lua cheia, que reflete no mar e ilumina os veranistas, faz com que o serviço pare, nem mesmo alguns minutos, para contemplar o espetáculo da natureza.

Seu Zeca não revela a idade, apenas conta que recolhe latinhas no verão há anos, enquanto faz o mesmo trajeto dia após dia: da ponta do novo calçadão, no centro, até a ponte dos suspiros, quando acaba o calçadão.

Moradores e turistas que ficam pela orla, já conhecem o carismático trabalhador.

Ao longo do dia, seu Zeca junta as sacolas de latinhas, e vai depositando ao pé desta árvore. E assim faz várias vezes ao dia.

 

Amigas de um quiosque, e um rapaz que aluga cadeiras de praia, cuidam de tudo, enquanto ele cata as latas. Quando termina esse trabalho, começa outro: arrumar tudo para levar para casa. O bambu serve de base de apoio, um a um, os sacos vão sendo amarrados…

 

Com um barbante transpassado, seu Zeca garante que os quase 20 quilos de latinhas fiquem firmes junto ao bambu, tanto esforço rendem, em média, R$ 3,50 a 3,80, o quilo. Isso normalmente, o valor pago acabou baixando. É a boa e velha da lei de oferta e procura: muitos catadores, menos dinheiro no bolso.

Pronto: tudo devidamente amarrado ao bambu…é hora do merecido respiro antes de andar os 8km. E lá entram novamente em cena as amigas do quiosque. Energia restabelecida, é hora de pegar o rumo para casa até o bairro Casa Branca, para amanhã começar tudo de novo.