Restituição do Imposto de Renda: especialista ensina formas de usar o seu dinheiro de forma inteligente

159
Compartilhar

 

Quitar dívidas e começar uma reserva de emergência são boas opções

Money from Brazil. Notes of Real, Brazilian currency. Concept of savings, salary, payment and funds. Man counts cash bills.

“Ainda vivemos um momento delicado na economia devido à pandemia. Por isso, a dica é aproveitar para reorganizar a vida financeira, quitar dívidas e começar a fazer uma reserva de emergência. Quem está mais tranquilo pode investir em algo pessoal como a troca do carro, cursos ou uma viagem para um futuro pós-pandemia”, ensina Angela Kuhnen da Silveira, especialista da área de Investimentos do Sistema Ailos.

Uma boa dica é começar a realmente investir utilizando o valor de restituição do IR. Muitas pessoas acreditam que fazer investimentos requer uma grande quantia em dinheiro, porém isso não é verdade. Com um valor pequeno já é possível começar a fazer um investimento.
“Esse pode ser o primeiro passo também para criar o hábito de poupar, já pensando na realização de projetos futuros”, explica Angela.

Quitando dívidas e poupando para emergências
É importante ter bastante atenção para utilizar a restituição do Imposto de Renda da melhor forma possível, atendendo suas necessidades pessoais. Para quem tem dívidas, por exemplo, o recurso é uma ótima oportunidade para reorganizar as finanças e sair do vermelho. Priorizar as contas com maior incidência de juros e negociar descontos à vista são as melhores opções.

“Para quem está com a vida financeira em dia, a dica é iniciar ou aumentar os investimentos. Para quem ainda não tem esse hábito, o primeiro passo é formar uma reserva de emergência, um valor de segurança para imprevistos. A reserva deve corresponder ao valor de três a seis meses do custo fixo mensal, que são despesas domésticas e contas fixas. O próximo passo é diversificar os investimentos, pensando em uma reserva de oportunidades e/ou aumento de capital. Neste momento, o mais importante é pensar neste valor como uma oportunidade para ter tranquilidade em relação ao futuro, e não um dinheiro para ser gasto sem necessidade”, explica a especialista.

Sobre o Ailos
Constituído em 2002, o Ailos é um Sistema de Cooperativas de Crédito e conta com mais de 1 milhão de cooperados, uma cooperativa central, 13 cooperativas singulares, mais de 200 postos de atendimento e mais de R$ 12 bilhões em ativos. Com atuação nos três estados do Sul do país, possui cerca de 4 mil colaboradores, contribuindo e promovendo o crescimento sustentável e desenvolvimento social das comunidades onde atua. As cooperativas singulares que compõem o Ailos são: Acentra, Acredicoop, Civia, Credcrea, Credelesc, Credicomin, Credifoz, Crevisc, Evolua, Transpocred, Únilos, Viacredi e Viacredi Alto Vale.