SC registra 12,1 mil indenizações pagas às vitimas de trânsito pelo seguro DPVAT

400
Compartilhar

Foram pagas 12,1 mil indenizações do seguro DPVAT em Santa Catarina de janeiro a julho de 2018. É o que aponta o boletim estatístico divulgado pela Seguradora Líder, responsável por administrar o seguro.

Destes, 882 pagamentos foram realizados em caso de morte. O número aponta uma redução de 6,37% em relação ao mesmo período do ano passado. Dos três estados da região sul, Santa Catarina foi o que apresentou a menor quantidade de casos registrados – foram 1,5 mil pagamentos realizados no Paraná (PR) e 1 mil no Rio Grande do Sul (RS).

Os casos de invalidez permanente somaram 7, 6 mil indenizações durante o período, o que representa uma redução de 37,17% em relação ao mesmo período do ano passado e corresponde a 5,7% de todo o país. SC é o segundo da região que mais pagou indenizações dessa categoria entre os três estados.

Já em relação ao reembolso de despesas médicas e assistenciais (DAMS), houve um total de 3,5 mil indenizações pagas em Santa Catarina, 2,07% a menos que em 2017. O Estado foi o que mais emitiu indenizações entre os três da região sul – RS registrou 3,1 mil casos e o PR, 2,1 mil.

A região sul foi a terceira que mais realizou pagamentos, representando 17% de todo o país. A região nordeste representou a maior concentração de pagamentos, cerca de 31%, seguida da região sudeste, com 30%, Centro-Oeste, 12%, e Norte, na última posição com 10%.

Cenário nacional aponta redução

Ao todo, o Brasil registrou 193,9 mil indenizações pagas às vítimas de trânsito neste ano, do mês de janeiro a julho, nas três categorias: morte, invalidez permanente e despesas médicas. O número, entretanto, aponta uma redução de 14% das indenizações em relação ao mesmo período do ano passado.

O pagamento realizado em casas das sequelas permanentes foi o número mais expressivo: 69% do total.

O boletim também apontou que um a cada quatro indenizados são pedestres, representando cerca de 50 mil benefícios pagos, a faixa etária entre 18 e 34 anos foi a que mais teve vítimas que receberam o benefício. Além disso, o início da noite, entre 17 e 20 horas, foi o campeão em acidentes, representando 23% do total.

Seguro DPVAT

Todas as vítimas de acidentes de trânsito registrados no Brasil podem ter acesso ao seguro DPVAT. A cobertura é válida tanto para os casos que houver necessidade de custos médico-hospitalares quanto em caso de morte ou invalidez permanente. As vítimas têm até três anos a partir da data do acidente para recorrer ao benefício.

Parte do dinheiro pago ao IPVA todos os anos pelos proprietários de veículos, e no licenciamento no caso dos isentos, é destinada ao financiamento desta indenização.