Servidores municipais rechaçam Nilza Simas

809
Compartilhar

#Categoria

Prefeita de Itapema novamente pisa na bola com os funcionários públicos da cidade. Categoria rejeitou em peso a proposta enviada pelo Executivo, em assembleia geral na última segunda-feira (19), na sede do sindicato dos funcionários públicos.

Cleyton Amaral

“Servidores municipais estão ressentidos com a prefeita Nilza Simas”, diz presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Itapema (Sisemi), Aristóteles Goulart.

Desde o ano de 2016, a prefeita da cidade, que, diga-se de passagem, também é servidora pública, não valoriza e tampouco cumpre os diretos da categoria. Tanto que o sindicato impetrou um mandato de segurança em 19/07/2017, contra o Poder Executivo para que se faça valer os direitos dos trabalhadores.

Entre as reivindicações contra a prefeita de Itapema está o reajuste salarial dos anos de 2016/2017, que simplesmente não foi cumprido por parte do Executivo. “O reajuste de 5,44% em relação ao INPC teve que ser judicializado porque não foi respeitado pela administração pública. O sindicato, após inúmeras e exaustivas tentativas de negociação, não viu outra saída a não ser cobrar na Justiça os direitos dos servidores, para que se faça cumprir a lei”, sentencia o sindicalista.

Reajuste atrasado voltou para pauta

A prefeitura, segundo o sindicato, mesmo não cumprindo o que determina a lei, o reajuste salarial atrasado (2016/2017) voltou para pauta de discussões no ano de 2018. Na última segunda-feira, dia 19, em assembleia geral, além desta problemática, que parece não ter solução, os servidores também reivindicaram um ganho real no vale alimentação de 75% e 1,87% nos salários neste ano. Da prefeitura receberam uma contraproposta que desmotiva ainda mais a categoria e só reafirma o desinteresse da chefe do Executivo pelos funcionários públicos.

Ainda conforme o presidente do Sisemi, Nilza Simas propôs ao invés de 75% no vale alimentação, só 50%, ainda com condições, entre elas que o sindicato retire o mandado de segurança contra a municipalidade e desconsiderando os retroativos da categoria. “Em suma, ela pagaria os 5,44% de reajuste atrasado, se o sindicato retirasse a ação na Justiça, concederia o aumento no vale alimentação e retomaria o pagamento das progressões, se não fosse observado a retroatividade destes direitos. A categoria rejeitou as duas propostas, mas este ano, a administração se mostrou mais sensível aos nossos apelos. Entretanto, esta relação dos funcionários com a prefeitura está cada vez mais gasta, o que a gente vê é um sentimento de ressentimento por parte dos funcionários. Nós, como sindicato, entendemos e respeitamos este sentimento e vamos continuar lutando pela valorização e em prol dos direitos dos servidores”, finaliza Aristóteles Goulart.

Atualmente o município de Itapema conta com 2.500 funcionários públicos municipais, deste cerca de 1.200 são filiados ao sindicato.

O que diz a administração

A assessoria de imprensa da prefeitura informou na tarde de ontem, que está no aguardo da resposta oficial da proposta enviado pelo Executivo ao sindicato para depois se manifestar.