Sessões da Câmara de Camboriú passam a contar com intérprete de libras

272
Compartilhar

Dia Nacional

Na última dia 24 de abril celebra-se o Dia Nacional de Libras, a Língua Brasileira de Sinais utilizada como forma de comunicação pelos surdos. De acordo com o último Censo, mais de 9,7 milhões de pessoas no Brasil apresentam algum grau de deficiência auditiva. Diante desta realidade, dia após dia a luta para uma inclusão efetiva dos surdos ganhou forças.

Já na sessão ordinária realizada no dia 17 de março, na Câmara de Vereadores de Camboriú, ainda em caráter experimental, o uso da tribuna por parte dos parlamentares foi acompanhado pela intérprete de libras Nayara da Silva. Com as mudanças ocasionadas devido à pandemia do coronavírus, uma nova forma de transmissão das sessões teve que ser adotada, e também a inserção da intérprete teve que ser adaptada.

Contudo, esta deve ser a nova rotina das sessões da Casa Legislativa. A fim de tornar efetiva a participação de pessoas surdas também nas discussões do Poder Legislativo, Câmara de Camboriú passa a contar com uma interprete de libras, que fará o acompanhamento do início ao término da sessão.

A medida atende ainda os dispositivos das Leis Federais Nº 10.048/2000 e Nº 10.436/2002 que reconhece a LIBRAS como meio legal de comunicação e expressão no país e dá outras providências. Criada para promover a inclusão social de surdos, a LIBRAS é uma forma de linguagem natural como qualquer outra, o que a diferencia das demais línguas usadas hoje é que, em vez do som, utiliza os gestos como meio de comunicação. Nela, os sinais são marcados por movimentos específicos realizados com as mãos e combinados com expressões faciais e corporais.