Sete cidades decretam novas medidas restritivas no Norte de SC em combate ao coronavírus

528
Compartilhar

DECRETO

Dentre medidas, haverá alteração em atendimentos de bares e restaurantes, além da suspensão do transporte coletivo

Após avaliação divulgada pelo Governo do Estado de Santa Catarina, que aponta a região Nordeste com risco potencial gravíssimo e com a taxa de ocupação de leitos exclusivos à Covid-19 em 93% nos hospitais de referência, sete municípios irão adotar novas medidas restritivas para o combate ao coronavírus. Barra Velha, Corupá, Guaramirim, Jaraguá do Sul, Massaranduba, São João do Itaperiú e Schroeder fazem parte da Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali).

Além da suspensão do transporte coletivo público e da realização de missas e cultos nos sete municípios da Amvali, restrições que já estavam em vigor desde o início desta semana, o novo decreto estabelece que bares, lanchonetes, pubs, confeitarias e estabelecimentos congêneres terão o horário reduzido de funcionamento para atendimento presencial de segunda a sábado das 6h às 18h, e nos domingos devem ser fechados. Medidas entram em vigor a partir desta quarta-feira, dia 22, e são válidas até o dia 5 de agosto.

> Alerta de risco para coronavírus sobe para “gravíssimo” na região de Joinville

Os restaurantes e comércio de assados (casa de carnes), seja para entrega ou consumo local com as restrições já impostas no decreto anterior, poderão atender de segunda a sábado também das 6h às 18h, e nos domingos das 10h às 15h.

– Nós realizamos uma reunião (videoconferência) na manhã desta terça-feira entre todos os prefeitos da Amvali e optamos por medidas mais restritivas, diante do cenário preocupante com o Coronavírus. São medidas tomadas em conjunto com os gestores de saúde e os comitês de combate a Covid-19, que ficarão em vigor até o dia 5 de agosto. O objetivo é tentarmos diminuir a curva do contágio da doença – explicou o presidente da Amvali, João Carlos Gottardi.

Segundo o prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, os municípios têm buscado saídas inteligentes para conter a crise.

– Geralmente, quando falamos de bares e lanchonetes de bairro, nos referimos a negócios familiares, que garantem o sustento das pessoas. Com essa medida, vamos permitir que haja uma continuidade econômica, mas com restrições que diminuem o risco de contágio – ressaltou.

Com informações NSC Total