Sobe o número de casos de dengue em Itapema

480
Compartilhar

Alerta Geral

De 104 para 135, de acordo com o último relatório divulgado pelo DIVE/SC

Da redação

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) divulgou o boletim n° 13/2019 sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e a situação epidemiológica de dengue, febre de chikungunya e zika vírus, com dados até a Semana Epidemiológica (SE) n° 18 (30 de dezembro de 2018 a 04 de maio de 2019).

Novos casos registrados


No período de 30 de dezembro de 2018 a 04 de maio de 2019, foram identificados 15.595 focos do mosquito Aedes aegypti em 175 municípios. Comparado ao mesmo período de 2018, quando foram identificados 9.627 focos em 145 municípios, houve um aumento de 62% no número de focos identificados, conforme o Gráfico 1 e a Figura 1. O aumento do número de focos nas SE 08, 09 e 11/2019 está associado ao Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), no qual ocorreu a coleta de larvas pelos municípios infestados, para o conhecimento do Índice de Infestação Predial (IIP). Em relação à situação entomológica, até a SE nº 18/2019, são 85 municípios considerados infestados, o que representa um incremento de 21,4% em relação ao mesmo período de 2018, que registrou 70 municípios nessa condição.

Dengue


O boletim epidemiológico da DIVE utiliza as informações dos casos suspeitos notificados pelos municípios no Sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN On-line). Esses dados estão disponíveis para os municípios, Secretarias Estaduais de Saúde e Ministério da Saúde. Diferente do Ministério da Saúde, que divulga os casos prováveis (todos os casos notificados, excluindo-se os descartados), a DIVE divulga os casos confirmados, suspeitos e descartados, por entender que dentre os casos prováveis, muitos estão aguardando resultados laboratoriais e investigação epidemiológica. A divulgação dos casos confirmados e descartados é feita após encerramento da investigação pelo município no SINAN On-line.

No período de 30 de dezembro de 2018 a 04 de maio de 2019, foram notificados 2.850 casos de dengue em Santa Catarina. Desses, 442 (16%) foram confirmados (440 pelo critério laboratorial e 2 pelo clínico epidemiológico), 82 (3%) estão inconclusivos (classificação utilizada no SINAN para os casos que, após 60 dias da data de notificação, ainda não tiveram sua investigação encerrada), 1.403 (49%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 923 (32%) estão sob investigação pelos municípios (Tabela 1).

Do total de casos confirmados até o momento, 374 são autóctones (transmissão dentro do estado) (Tabela 2), 42 casos são importados (transmissão fora do estado), (Tabela 3), 15 casos estão em investigação de LPI e 11 são indeterminados pois não foi possível definir o LPI.

Em comparação com o último boletim, houve a confirmação de 91 casos autóctones e 5 casos importados. Em relação aos casos autóctones, o Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN) identificou o sorotipo de 24 amostras, sendo em 15 o DENV-1, com circulação nos municípios de Itapema e Bombinhas e em 9 o DENV-2, com circulação nos municípios de Florianópolis, Balneário Camboriú, Itapema e Porto Belo