SUPERLOTAÇÃO: atendimentos da UTI Neonatal e centro obstétrico estão suspensos temporariamente

84
Compartilhar

Hospital Ruth Cardoso

O hospital Municipal Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú, suspendeu os atendimentos e internações na unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal e no centro obstétrico (maternidade) da unidade. A medida é emergencial, até que baixe a quantidade de pacientes internados. O problema, explica Andressa Hadad, secretária de Saúde da prefeitura, é a superlotação naqueles dois setores. “Nossa neonatal tem seis leitos habilitados e já estamos com 10 pacientes internados, ou seja, já são quatro a mais”, afirma. Além disso, informa, havia ontem 11 mulheres aguardando na maternidade em situações de gravidez de risco. “Gestantes de risco e os bebês podem vir a precisar de leitos na eonatal”, diz a secretária.

Estado tem que resolver

Com a suspensão de novos atendimentos na maternidade e na UTI de bebês, agora será o centro de regulação da secretaria de Saúde do Estado que deve decidir para onde os novos pacientes devem ir. “O estado tem a obrigação. Quando não há vagas, o estado tem a obrigação de comprar essas vagas (em outros hospitais) se necessário for”, explica Andressa. Entre as cidades da foz do rio Itajaí-açu, apenas o hospital Marieta Konder Bornhausen, que é regional, tem neonatal, além do Ruth Cardoso. Ainda de acordo com Andressa Hadad, entre os 300 partos feitos em média no Ruth Cardoso, somente 36% são de moradoras de Balneário Camboriú.

Deputada lamenta

O Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú, foi notícia na imprensa, com o fechamento temporário da UTI Neonatal e da maternidade por conta da superlotação. O mais grave é que essa situação acontece porque o Ruth, mesmo sendo municipal e sendo mantido apenas com recursos da prefeitura, atende pacientes de toda a região. “Isso só vai mudar, meus amigos, se unirmos forças, sem qualquer ego partidário ou ideológico, e estabelecermos um diálogo sério entre município e Estado para buscar uma solução. Só #juntos podemos fazer da saúde a prioridade número um, de verdade”, expressa deputada Ana Paula da Silva (PDT)

Atualização Hospital Municipal Ruth Cardoso

O Hospital Municipal Ruth Cardoso informa que 12 crianças estão na UTI Neonatal e outras duas gestantes estão no centro obstétrico, com possível vaga na UTI. O Hospital entrou em contato com o Estado e já conversou com a superintendência que se comprometeu a comprar duas vagas privadas. Entretanto, ainda não se obteve retorno. Na tarde de terça-feira (21), a direção do Hospital solicitou apoio junto ao Ministério Público. Desta forma, a suspensão de atendimento na UTI Neonatal se mantém nas próximas horas até que ocorra a transferência dessas crianças e normalize o fluxo tanto na UTI Neonatal quanto no Centro Obstétrico.

Com informações Diarinho e Assessoria da Prefeitura de BC