Surpresa INGRATA na conta de luz

556
Compartilhar

Consumidor

A fatura deste mês da Celesc anda deixando muita gente indignada em várias regiões de SC, inclusive aqui na Costa Esmeralda. O vereador itapemense, Alexandre Xepa, também está acompanhando o caso, MP vai fazer um relatório com os gastos mais graves.

Consumidores insatisfeitos com o alto valor da conta de luz estão reclamando muito do alto valor da tarifa neste mês de janeiro diversas partes de SC, inclusive aqui na Costa Esmeralda.

A Celesc justifica que a alteração ocorreu por causa do maior consumo de energia registrado no período de leitura.

O vereador Alexandre Xepa recebeu tanta demanda em seu gabinete que ele mesmo entrou na briga para saber os reais motivos desse aumento. “Estivemos em reunião no Ministério Público do Estado de Santa Catarina em Florianópolis. A reunião muito produtiva que contou com a presença de vários seguimentos da sociedade civil, o diretor do Procon do Estado que estão todos unidos para que a população não pague esse absurdo nas suas contas de energia elétrica. Estamos atentos e trabalhando para ajudar a população. Dia 07 de fevereiro teremos nova reunião na 29ª promotoria de justiça com o Dr. Paladino onde o presidente da Celesc vai ser convocado e aí tomaremos novos procedimentos”, relata o parlamentar em sua rede social

Inquérito será aberto

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) abriu um inquérito civil para apurar o suposto aumento irregular nas contas de luz. A abertura da investigação ocorreu após uma série de reclamações de consumidores sobre os valores cobrados na fatura de energia emitida neste mês. A Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) justifica que a alteração ocorreu por causa do maior consumo de energia registrado no período de leitura em cada unidade consumidora.

O MPSC convocou para última segunda-feira (28) uma reunião entre Celesc, Programa de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon) municipais e estadual, como o objetivo de constatar as medidas que estão sendo tomadas para ajudar aos consumidores que se sentem lesados. O MPSC informou que pretende enviar um ofício pedindo explicações à Celesc, que deverá comprovar que houve aumento de consumo em função das altas temperaturas e das férias. Caso isso não ocorra, o MPSC poderá intervir e fazer uma perícia técnica para analisar se houve algum equívoco no sistema de cobrança da Celesc durante o período.

O que diz a concessionária

A explicação dada pela empresa é o elevado consumo registrado nas últimas semanas, que fez com que somente em janeiro a demanda batesse três vezes o recorde de consumo e em três dias seguidos: 5 de janeiro (4.875MW), 16 de janeiro (4.989,82 MW) e 17 de janeiro (5.030MW). O último recorde havia sido registrado em 12 de dezembro do ano passado, com 4.826MW.

Segundo a Celesc, desde agosto de 2018 não há reajuste na tarifa de energia elétrica. Este é o mês que recebe as correções e por isso a orientação é que os consumidores fiquem de olho no histórico do consumo e no período de apuração da leitura na fatura recebida. “Quando for avaliar a variação de consumo, o cliente deve, inclusive, comparar a leitura atual no medidor do seu imóvel com a leitura apresentada na fatura: a diferença entre os números indica o quanto já foi consumido de energia em kWh desde que o leiturista passou pelo seu imóvel”, destaca o gerente do Departamento de Regulação da Celesc, Vânio Moritz.