Temporada do Bandeira Azul no Estaleiro e Estaleirinho termina no domingo

14
Compartilhar

Balneário Camboriú

A temporada 2018/2019 do Programa Bandeira Azul nas praias do Estaleiro e Estaleirinho está chegando ao fim. No próximo domingo (21), depois de ter ficado hasteada por quatro meses, a Bandeira Azul será recolhida.

A Bandeira Azul atesta que as praias são ecologicamente corretas e seguras. A temporada 2018/2019 nos locais certificados pelo Programa no Hemisfério Sul terminou em março. No entanto, devido ao sucesso em Balneário Camboriú e atendendo a pedidos da comunidade, a Secretaria do Meio Ambiente pediu a prorrogação do prazo até a Páscoa. Nesses quatro meses, as duas praias tiveram a Bandeira Azul hasteada de manhã e retirada no fim da tarde e guarda-vidas durante esse período (das 8h às 20h).

De acordo com o secretário do Meio Ambiente, Ike Gevaerd, as praias do Estaleiro e Estaleirinho continuam certificadas, e a Bandeira Azul será novamente hasteada na temporada 2019/2020 porque os critérios do Programa permanecerão sendo cumpridos ao longo do ano. Neste ano, serão investidos cerca de R$ 800 mil na manutenção e implantação de novas infraestruturas que seguirão o projeto arquitetônico já elaborado para o Programa. A verba é fruto de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Prefeitura, Ministério Público de Santa Catarina e construtoras.

A Bandeira Azul foi hasteada no Estaleiro e Estaleirinho em dezembro de 2018. O selo internacional é concedido a praias e marinas que atenderam a uma lista de critérios ligados a questões ambientais e qualidade da água. No Brasil, foram condecoradas nove praias (seis em Santa Catarina), cinco marinas (duas em Santa Catarina) e uma embarcação de turismo sustentável (em Florianópolis).

No início de 2017, Balneário Camboriú habilitou-se a obter o certificado de qualidade ambiental do Programa. As praias foram cadastradas na fase piloto do Bandeira Azul, e começou o trabalho para o cumprimento de todas exigências. Entre as ações realizadas, estão a formação do comitê gestor do programa, contratação de técnico especialista, análises de água, diagnóstico das praias e reuniões periódicas com a comunidade. Outra frente de trabalho atuou na instalação e recuperação de equipamentos nas duas praias. As estruturas existentes, como passarelas e decks, cerca de proteção da restinga e postos guarda-vidas, passaram por reforma. Banheiro e chuveiros (ou lava-pés), novas lixeiras e placas informativas foram instaladas. As obras são contínuas. Para envolver a comunidade e os banhistas, ações de educação ambiental nas praias ocorreram por meio do Projeto Consciência na Praia.