Varejo de SC cresce 1,6% em novembro e 8,5% em 12 meses

419
Compartilhar

Estado

As vendas do varejo restrito em Santa Catarina, no mês de novembro do ano passado, tiveram alta de 1,6% na comparação com o mês anterior, outubro, com ajustes sazonais. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior tiveram alta de 8,6%, no acumulado do ano – janeiro a novembro – cresceram 8,3% e em 12 meses avançaram 8,5%. Os dados integram a Pesquisa Mensal do Comércio divulgada nesta terça-feira pelo IBGE.

 

Considerando a série com ajustes sazonais, foi o terceiro melhor resultado do ano passado em SC, atrás de janeiro que cresceu 7,7% e abril, 1,9%. Em receita nominal, as vendas catarinenses cresceram 1,6% em novembro frente a outubro, 13,9% na comparação com novembro de 2017, 11,9% no acumulado do ano e 11,6% no acumulado dos últimos 12 meses contabilizados. A média brasileira em volume do varejo restrito em novembro frente a outubro teve alta de 2,9%, comparando a novembro de 2017 cresceu 4,4%, no acumulado do ano avançou 2,5% e em 12 meses, 2,6%.

Em Santa Catarina, as maiores altas no comércio em novembro frente ao mesmo mês do ano anterior foram em equipamentos e materiais para escritório 24,1%, seguidos de móveis e eletrodomésticos 17,5%, combustíveis 13,2% e tecidos e confecções 7,8%. Os produtos de farmácias venderam 5,7% mais e hipermercados e supermercados cresceram 3,3%.

No varejo ampliado, que inclui móveis e materiais de construção, Santa Catarina cresceu em novembro do ano passado 0,1% na série frente ao mês anterior com ajustes sazonais, teve alta de 7,9% em relação ao mesmo mês de 2017, cresceu 10,9% no acumulado do ano e 10,9% em 12 meses.

Os números catarinenses mostram que alguns segmentos do varejo aproveitaram a recuperação do poder de compra do consumidor ou outros fatores para elevar um pouco mais os preços. Isso ocorreu principalmente em móveis, que vendeu 22,4% mais em volume e obteve 27,3% mais em receita, e eletrodomésticos cujos volumes alcançaram 16,1% e a receita, 19,3%.