Vereador na Redação

1759
Compartilhar

#Entrevistão

Cleverson Tanaka, do PDT, é o primeiro vereador da série especial “Vereador na Redação”, que o jornal A Hora começa a publicar a partir deste final de semana. O parlamentar, em seu primeiro mandato, visitou nossa redação e concedeu uma entrevista exclusiva.

Cleyton Amaral

O vereador tem um papel muito importante para a sociedade, é ele que está em contato constante com a população no dia a dia, vivenciando todo problema com o povo. Vereador vem do verbo verear, isto é, zelar pelo sossego e bem-estar dos munícipes. É ele, também que cuida dos interesses do município.

O jornal A Hora inicia mais uma série de reportagens, o foco desta vez é o Poder Legislativo. Por isso, convidaremos, ao longo do ano, os parlamentares de Itapema para conhecer a nossa redação, tomar um café e, claro, conversar muito sobre os interesses da cidade. Cleverson Tanaka, do PDT, foi o primeiro vereador convidado. Confira a entrevista.

Breve histórico

Cleverson Tanaka Rubini, o Tanaka, é natural de Capanema no Paraná. Aos 11 anos já trabalhava e aos 18 chegou a Santa Catarina. Tanaka é radialista, jornalista, empresário e advogado. Formado em Direito pela Universidade do Vale do Itajaí em 2008. Nesse mesmo ano, Tanaka começou a trabalhar em uma rádio local onde aprendeu a conhecer os inúmeros problemas que a comunidade enfrenta.

Primeiro ano de mandato

“Foi um desafio. Tudo novo, diferente da vida privada. Tentei ao máximo chegar preparado, mas nada melhor do que aprender na prática. E foi justamente na prática que verifiquei que a realidade nem sempre é a mesma que você prevê. Lembro que administração pública é tanto o Poder Executivo, quanto o Legislativo. Com a prática você se depara com diversas situações. Neste primeiro ano de mandato, começamos como base junto ao governo e, ao longo dos meses, fomos moldando uma nova postura. Vale ressaltar que os nossos compromissos de campanha estão sendo cumpridos.

O que me ajudou muito também neste primeiro momento foi a minha educação. A educação recebida por meus pais e também a educação durante os 42 anos como estudante, entre os cursos de jornalismo e direito. Esse conhecimento acadêmico me ajudou em muito nas tomadas de decisões aqui na Câmara. Lógico que o vereador precisar estar atento às necessidades da comunidade, porém também precisar ter a mesma atenção em relação à legislação, no meu caso, como advogado o curso tem me respaldado em muito. ”

 

Bandeiras do vereador

“Educação. Aliás, ressalto quer o meu partido (PDT) teve um grande ícone, Leonel Brizola, que sempre priorizou a educação. No meu entendimento, a educação sempre tem que estar em primeiro lugar, bem como a saúde. A saúde também é outra bandeira importantíssima em meu mandato. Digo não somente a saúde curativa, mas, também, a saúde preventiva. E o que eu vejo é que ainda precisamos avançar em muito nestes dois setores em nossa cidade.

Nunca dá para dizer que a saúde está 100%, pois ao você falar isso, aquele cidadão que está enfrentando problemas (não consegue marcar exames, falta medicamentos, está na espera da cirurgia…) ao ler esta citação, ainda mais de um vereador, com certeza achará um deboche. Outra bandeira tão importante, ainda na esfera da saúde é a questão dos animais abandonados em nosso município. Hoje Itapema sofre muito com animais de rua, mas aos poucos o que me parece que a coisa tem mudado, mesmo que a passos de tartaruga.

Segurança pública também deve ser lembrada. Não dá para termos segurança, sem antes passarmos pela educação e pela saúde. O esporte também necessita de uma atenção especial. O que importa grandes eventos para a cidade, se a base, o jovem, a criança, tem pouco acesso às atividades físicas? Falta áreas de lazer, ginásios abandonados…”.

 

Vereador X Prefeitura

“Quando vence uma eleição, você é eleito para atender as reivindicações da sociedade. Se a prefeitura está cometendo erros, é papel do vereador, independentemente se ele foi base ou não, fiscalizar. Digo até mais, quando um parlamentar está junto no projeto, ele deve cobrar ainda mais. Ao longo dos meses, sempre tomei uma postura. No início sempre acreditando no projeto do governo municipal, mas ao decorrer do mandato, você começa a identificar falhas e acaba fazendo o devido apontamento. Porém, muitas vezes, estes questionamentos não são bem recebidos pelo Executivo. Eu respeito, mas isso não significa que concorde.

Tenho uma postura firme, de cobrar o que está sendo feito errado, de fiscalizar realmente. Não posso aqui ser irresponsável, todos os meus votos em projetos, principalmente os votos contra, sempre foram muito bem argumentados e fundamentados. Pois, cada projeto de lei, aprovado ou não, tem um grande impacto na vida da população, e quando se fala em vida, jamais podemos agir de forma contrária”.

Nilza Simas

Quando eu vejo a atual administração, não vejo apenas a figura da prefeita, mas, também do seu vice, João Emmel. Fazendo uma analogia, são os dois que estão à frente desta embarcação. No meu ver, em relação à administração é que sobra transpiração e falta inspiração. Digo isso porque, vejo a caminhada de Nilza, em busca de recursos, em audiências públicas, mas seu governo não é técnico. E isso faz compromete todo um projeto. O governo municipal precisa ser mais popular, está mais preparado…”.