Vereadores decidem hoje se acatam ou não a CPI da saúde

736
Compartilhar

Casa do Povo

Os representantes decidirão em votação se abrem ou não o pedido para instaurar a Comissão Parlamentar de Inquérito. A intenção é que os parlamentares itapemenses investiguem os supostos desvios de recursos (que poderiam chegar a R$ 8 milhões) em contratos com a antiga administração do Hospital Santo Antônio e Secretaria Municipal de Saúde.

No mês de junho deste ano, o município de Itapema recebeu uma verdadeira bomba, quando policiais civis foram até o prédio da secretaria municipal de Saúde atrás de documentos que comprovassem possíveis irregularidades contratuais entre o Hospital Santo Antônio e o município, durante os anos de 2011 a 2016. Estava decretada a “Operação Sutura”, que levou para cadeia até o prefeito de Penha, cidade onde ficava a Organização Social que administrava o hospital em Itapema.

Aqui em nossa cidade, depois do escândalo, pouco se ouviu falar dos supostos desvios, entretanto, o tema veio à tona novamente há algumas semanas, quando o jornalista de Itapema, Elias Tenório, protocolou no último dia 24, pedido de abertura da CPI para investigar um suposto esquema de desvio de verbas da saúde. O caso está sendo investigado pela Diretoria de Investigações Criminais (Deic).

Jornalista defende CPI

“Muitos estão dizendo para deixar a investigação correr, mas a denúncia envolve até mesmo outros estados e municípios. Por que é importante que os vereadores de Itapema façam uma investigação aqui? Justamente pela extensão do caso, o que pode levar anos para uma conclusão. Já uma CPI feita pelos vereadores tem um prazo de conclusão de aproximadamente 90 dias com foco apenas nas irregularidades cometidas aqui em nossa cidade. Fiscalizar é o papel dos vereadores e isso não atrapalha as investigações”, argumentou o jornalista Elias Tenório.

Chegou à Câmara

Em contato com a assessoria da Câmara, foi confirmada a votação de abertura da CPI para a sessão que ocorre na noite desta terça (31). Caso seja aprovado, os parlamentares terão o prazo de três meses para concluir e apresentar os resultados. O jornalista responsável pelo pedido também fará uso da Tribuna do Povo para defender o pedido de investigação. A sessão na Câmara é aberta ao público e começa a partir das 19h.

Quem não deve, não teme

Nossa reportagem também conversou com o ex-prefeito, Rodrigo Costa. Bolinha argumentou a favor da criação da CPI. “Primeiro quero dizer que estamos tranquilos e serenos a respeito destas POSSÍVEIS irregularidades. Inclusive o partido já conversou com os vereadores, onde foi orientado que os mesmos votassem a favor.

A intenção é que seja uma investigação séria, justa e transparente e se forem encontradas POSSÍVEIS irregularidades, que sejam punidos os responsáveis. Eu, Rodrigo Bolinha, sempre trabalhei a favor da cidade, seja na época como vereador ou mesmo como gestor da cidade. Sempre me pautei pela transparência, repudio qualquer ato de corrupção, seja no setor público ou privado. Confiamos nas pessoas que estiveram à frente da saúde neste período e até o presente momento não foi citado nenhum nome de agente público nestas possíveis irregularidades”, conclui o ex-prefeito.