Vereadores derrubam veto da prefeita Nilza Simas (parte 1)

812
Compartilhar

Farra da Publicidade

Agora mais do que nunca, toda Itapema quer saber para quem (ou quais empresas) foi destino os valores com publicidade institucional da prefeitura municipal que podem chegar à cifra de até R$ 1.499.025,79. Nilza Simas tem que dar explicações à sociedade.

A última sessão na Câmara de Itapema, que ocorreu na terça, dia 23, pegou fogo, literalmente. Por unanimidade, os vereadores derrubaram o veto da prefeita Nilza Simas (PSD) e ela terá que explicar para a população os valores gastos (custo total R$ 1.499.025,79) com publicidade institucional. Como trata-se de um assunto amplo e complexo, nossa equipe dividiu a reportagem em duas partes. A primeira, vamos trazer as falas dos vereadores Yagam Dadam (PR) e Cleverson Tanaka (PDT), a respeito da situação. Posteriormente, vamos reportar os discursos dos vereadores Tiãozinho (PSDB), Nei da Van (PSDB), Fafá (PP) e Ley (DEM), estes dois últimos, saíram em defesa de Nilza. Vale ressaltar que até o fechamento desta edição, nossa equipe não conseguiu um contraponto da atual administração sobre o caso (vamos continuar tentando).

Entenda o caso

O Projeto de Lei 85/2018, de autoria do Poder Legislativo, dispõe sobre a obrigatoriedade da divulgação do valor da produção e veiculação das peças e anúncios publicitários institucionais, pagos pela administração pública direta e indireta dos poderes executivo e legislativo do município de itapema, veiculados de forma impressa, na internet, na rádio e na televisão, e dá outras providências. A prefeita Nilza VETOU o projeto, alegando que oneraria os cofres públicos, entretanto, argumento não foi o suficiente, e os vereadores derrubaram o veto do Executivo por unanimidade.

“Prefeita Nilza faltou com a verdade publicamente”, diz Yagan

“A prefeita Nilza Simas publicamente faltou com a verdade. Consultando o sistema da Câmara foram protocolados de 01 de janeiro de 2018 até a última segunda, dia 22,  202 proposições, destas, apenas cinco não foram aprovadas. Três delas eram em regime de urgência e duas medidas provisórias. A primeira, de número 26/2018, reajustou a tarifa do lixo em 7%. A prefeita já havia concedido um reajuste de 14,9% na tarifa. Em apenas 12 meses (2017/2018) o reajuste para a concessionária responsável pelo lixo foi de 21,9%, muito acima da inflação”, expressa o parlamente durante o uso da tribuna parlamentar. Vale destacar que apenas dois vereadores foram a favor do aumento da taxa do lixo, deixando-a mais cara para a população, os vereadores Fafá e Osmari. Ainda em sua argumentação, Yagan destaca a segunda MP (Medida Provisória) de número 25/2017, que tratava do “loteamento da praia” sem consulta pública. Novamente os dois vereadores (Fafá e Osmari) foram os únicos a votar a favor desta MP. Como não passou pelo Legislativo, o Executivo baixou um decreto (94/2018) com praticamente o mesmo teor da medida provisória, que, inclusive, o Ministério Público fez uma recomendou à prefeita, que a ignorou, fazendo com que os vereadores suspendessem o decreto de Nilza.

Em entrevista à uma rádio local, dias atrás, a chefe do Executivo, disse em alto e bom tom que estaria a um ano e meio tentando revogar uma lei inconstitucional sobre o aumento das tarifas pelas concessionárias que prestam serviço à municipalidade. Porém, o vereador Yagan mostrou com documentos oficiais da Casa do Povo que não havia sido protocolado nada a respeito. “O que foi protocolado foi um Projeto de Lei de número 06/2018, em 16 de fevereiro deste ano, que foi retirado alguns dias após pelo próprio Executivo, ou seja, não ficou nem 20 dias na Casa e não um ano e meio como a prefeita mencionou, inclusive a lei que ela diz ser inconstitucional (3.516), onde ela mesma foi coautora na época em que foi vereadora”, enfatiza.

“Como mandatária, és uma amadora”

O vereador Cleverson Tanaka foi o segundo a usar a Tribuna Parlamentar naquela noite para responder às críticas feitas pela prefeita municipal durante uma entrevista ao vivo em uma rádio local.

“Vossa excelência não trabalha com a verdade. A rádio onde você deu a entrevista virou seu palco, palanque para fazer política[UdW1] . Como mandatária, és uma amadora. A senhora não tem peito para encarar as concessionárias, como a Praiana. Para dar aumento ao servidor público, a senhora não tem essa mesma voracidade. Não consegue cumprir com os compromissos de Governo. Não trabalhas com a verdade, não me curvo à senhora. Não culpe os vereadores pela sua incompetência. Foi a senhora que prometeu acabar com as filas na saúde, com as filas nas creches….”, sentencia o parlamentar