Vereadores fazem balanço da Marcha em Brasília

368
Compartilhar

Porto Belo

Representantes do Legislativo aproveitaram o evento na Capital Federal para “garimpar” recursos e encaminhar demandas do município

O Centro Internacional de Convenções (CICB), na Asa Sul, em Brasília, foi o ponto de convergência de gestores municipais de todo o Brasil durante quase a semana inteira que passou. Mais de 9 mil prefeitos e vereadores atenderam à convocatória da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) para aderir à 22ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, evento que coincidiu com os 100 primeiros dias do atual governo federal. Além de ouvir as principais propostas da presidência da República no âmbito dos municípios, os participantes aproveitaram a estada na Capital Federal para participar de audiências na Esplanada dos Ministérios e apresentar demandas a seus representantes no Congresso Nacional.

Ao menos, essa foi a estratégia dos representantes de Porto Belo durante a Marcha. Além do vice-prefeito Elias Cabral (PR), os vereadores Altino Júnior (PSD), Silvana Stadler (PTB), Marcos Marques (PRB), Rosaura Rodrigues e Jonatha Cabral (PT) participaram do evento e cumpriram agendas diversas, a maioria relacionada ao “garimpo” de recursos para o município. Alguns deles, porém, procuraram fazer avançar pautas específicas.

Foi o caso do vereador Marcos Marques (PRB), que bateu à porta de alguns gabinetes em busca de recursos para as áreas de agricultura e pesca. Entre os projetos que ele levou a Brasília, estavam a dragagem do rio Santa Luzia e a puxada municipal (construção de um estaleiro para os pescadores artesanais do Centro). “Foi produtivo. Tenho certeza de que vai ter retorno”, acredita Marquinhos, que ficou positivamente surpreso com a acolhida que teve da bancada catarinense do PSL. “Eles não têm para quem mandar recursos. Quem ficar em cima, vai ganhar”, afirma.

Viaduto Santa Luzia


Outro tema levado a Brasília pelos parlamentares portobelenses foi o viaduto do sertão de Santa Luzia. Marcos, Jonatha e Rosaura tiveram uma reunião com Hélio Costa (PRB) e obtiveram do deputado a garantia de que assumirá a causa. Hélio, inclusive, adiantou à comitiva que esteve recentemente na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e soube que o projeto da obra deve sair em 30 dias.

Apesar dessa notícia promissora, Rosaura Rodrigues saiu preocupada da Marcha. Segundo a petista – que encaminhou algumas agendas de seu mandato, como o pedido de um equipamento de ultrassom e de um micro-ônibus para a Secretaria Municipal da Saúde e a apresentação de propostas relacionadas ao Segundo Acesso –, o governo federal impôs o que ela chamou de “barganha”, segundo a qual a destinação de verbas para os municípios ficará condicionada ao apoio a projetos polêmicos, como a Reforma da Previdência. Ela também criticou o pacto federativo proposto pela União, pois, embora represente um maior repasse aos municípios, desincumbe Brasília de subsidiar a educação e a saúde em nível municipal. “Não vai ter mais dotação pública, e isso vai complicar para os gestores”, avalia Rosaura.

Já Jonatha Cabral circulou pelos estandes da 11ª Exposição Paralela de Produtos, Serviços e Tecnologia. “O que achei mais interessante foi essa questão da inovação. Tem muita coisa que pode ser implantada nos municípios e que ajuda muito”, observou o vereador, que se mostrou especialmente atento a um projeto voltado para o saneamento básico: “Vamos tentar trazer para cá”, antecipa.

MOÇÕES

Altino Júnior e Silvana Stadler aproveitaram a Marcha para entregar aos deputados e senadores da bancada catarinense duas moções de apelo aprovadas no início do mês pelo legislativo portobelense. A primeira solicita que os representantes do Estado “analisem com total cuidado” a PEC da Reforma da Previdência, no que diz respeito às regras para os chamados segurados especiais (pescadores e agricultores). A segunda pede que os deputados e senadores votem a favor da PEC 77-E, que trata de pontos da Reforma Política. A proposta de emenda à Constituição defende o fim da reeleição e a unificação das eleições.

O presidente e a vice-presidente do Legislativo de Porto Belo ainda fizeram pedidos de emendas ao orçamento do ano que vem a alguns parlamentares e se reuniram com técnicos da Secretaria da Aquicultura e Pesca (SAP/Mapa) para tratar da dragagem do rio de Santa Luzia. (fonte: Assessoria Câmara PB)