Vereadores obtêm emendas extras em Brasília

103
Compartilhar

 

Comitiva portobelense esteve na Capital Federal na última semana. Saldo foi de R$ 500 mil em repasses

Toda viagem que vereadores portobelenses fazem a Brasília contém uma certeza: a sola dos sapatos vai ser colocada à prova. Afinal, o tempo sempre é curto em face da maratona necessária para cobrir os dezenove gabinetes dos deputados federais e senadores catarinenses. Via de regra, o que os representantes do munícipio querem é convencer seus pares nas altas esferas do poder a mandar algum dinheiro para cá. Não foi diferente com a mais recente investida, ocorrida na última semana. Como das últimas, o saldo foi considerado, pelos viajantes, como sido positivo.

“Com certeza”, enfatiza Diogo Santos (MDB), um dos membros da comitiva — composta ainda por Ednaldo da Silva (Nado do Esporte), Jonas Raulino, os dois também do MDB, e Bento Voltolini, do PL. Hermandes da Costa, secretário executivo da prefeitura de Porto Belo, completou o grupo. O quinteto embarcou na madrugada de terça (22) e retornou na de quinta-feira, 24. Em meio às tensões dos protestos indígenas contra a votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do PL 490 (reprimidos com violência pela Polícia Militar), os vereadores fizeram o tradicional corre-corre pelos gabinetes, conseguindo cumprir todas as agendas pretendidas, segundo Ednaldo (salvo nos gabinetes em que os parlamentares cumprem home office. Nesses casos, eles foram instruídos a passar as solicitações por debaixo da porta).

Diogo conta que a visita coincidiu com a liberação, por parte do Governo Federal, de créditos extras para as emendas dos deputados e senadores. Não foi acaso: os vereadores apuraram essa informação semanas antes com assessores dos parlamentares. Como resultado, agendaram audiências, distribuíram ofícios e, ao final, obtiveram o compromisso de repasse de quatro deputados: Carmen Zanotto (Cidadania), Carlos Chiodini (MDB), Darci de Matos (PSD) e Rodrigo Coelho (PSB). O tamanho do montante ainda não foi definido, mas os portobelenses estimam que a cifra chegará a meio milhão de reais. A expectativa é que, até o final do ano, esse dinheiro esteja à disposição das secretarias de Saúde e de Assistência Social do município. “Depende da demora no empenho [do recurso por parte do Planalto]. Pode ser tudo liberado em julho, agosto, ou só em dezembro”, explica Diogo.
“Tudo o que vem é bem-vindo”, considera Nado. Como egresso da administração municipal (foi presidente da Fundação Municipal de Esporte na última legislatura), ele sabe que todo real que pinga na pasta ajuda. “Dá uma diferença”, conclui.

ID JOVEM
A comitiva também esteve na Secretaria Nacional da Juventude, vinculada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Lá, foi recebida pelo assessor da pasta, Luciano Almeida Santos, que pediu aos vereadores auxílio na divulgação, em Porto Belo, do programa Identidade Jovem. Também conhecido como ID Jovem, ele possibilita aos jovens inseridos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) a obtenção de um documento que dá direito a benefícios como meia-entrada em eventos esportivos e artístico-culturais e acesso gratuito ou com desconto no sistema de transporte coletivo interestadual. De acordo com Luciano, embora Porto Belo tenha aproximadamente 500 jovens inscritos no CadÚnico, menos de 50 possuem ID Jovem. O documento pode ser emitido em www.idjovem.juventude.gov.br/.