14.7 C
Itapema
sexta-feira, julho 12, 2024
mais
    InícioCidadesBalneário CamboriúPF desarticula grupo criminoso que lesou vítimas em cerca de R$ 100...

    PF desarticula grupo criminoso que lesou vítimas em cerca de R$ 100 milhões e atuava em Itapema e outras cidades de SC, RS e TO

    Em:

    Em Destaque

    O grupo garantia altos retornos através de depóstiso em Bitcoin que não eram entregues aos investidores. Golpe fez mais de 25 mil vítimas

    avisao
    PF desarticula grupo criminoso que lesou vítimas em cerca de R$ 100 milhões e atuava em Itapema e outras cidades de SC, RS e TO 2

    A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (5/9), a Operação Lanterna Verde para desarticular organização criminosa (Orcrim), com base em Balneário Camboriú/SC, que – por meio de falsa empresa – simulava atuar na atividade de extração de esmeraldas.
    A organização captava investimentos em vários países, através de depósitos em Bitcoin, com promessa de altos lucros – nunca creditados aos investidores. O prejuízo estimado é de 100 milhões de dólares.
    Na ação, equipes da PF dão cumprimento a três mandados de prisão preventiva e a 11 mandados de busca e apreensão nos municípios catarinenses de Balneário Camboriú, Itajaí, Itapema, Ilhota e nas cidades de Farroupilha/RS e Paraíso do Tocantins/TO. As medidas judiciais foram expedidas pela 1a Vara Federal de Itajaí/SC e incluem também o bloqueio e o sequestro de bens dos investigados.
    A investigação revelou que eram utilizados vídeos mostrando falsas funcionalidades da empresa, que incluía bancos digitais próprios. Para promover uma maior credibilidade ao falso investimento, a Orcrim convidava pessoas em destaque na mídia para viajarem ao Brasil, onde participavam de eventos, recebiam valiosos prêmios e lhes eram apresentadas supostas áreas de mineração e lapidação de pedras preciosas.
    Até o momento, foram identificadas cerca de 2.500 vítimas diretas, de pelo menos 18 países, principalmente das Américas do Sul e Central, incluindo o Brasil. No total, a estimativa é que cerca de 25 mil pessoas tenham sido lesadas pelo esquema fraudulento.
    Além das três pessoas presas, outras cinco foram indiciadas por associação criminosa, lavagem de dinheiro, estelionato e crimes contra o sistema financeiro nacional e a economia popular. As penas culminadas por tais crimes podem chegar à condenação máxima de reclusão em nosso País – 30 anos.
    A PF informa que disponibilizou um canal de denúncias sobre o caso por meio do seguinte e-mail: denunciapiramides.iji@pf.gov.br

    Localidades de cumprimento dos mandados
    Mandados de prisão preventiva:
    SC (3) – 2 em Balneário Camboriú e 1 em Itapema
    Mandados de busca e apreensão:
    SC (7) – 3 em Balneário Camboriú, 2 em itapema, 1 em Itajaí, 1 em Ilhota RS (2) – 2 Farroupilha
    TO (2) – 2 Paraíso do Tocantins

    Cidades