16.6 C
Itapema
segunda-feira, julho 15, 2024
mais
    InícioCidadesBalneário CamboriúProtótipo de app que mapeia ruas atingidas por enchentes em BC vence...

    Protótipo de app que mapeia ruas atingidas por enchentes em BC vence desafio final do projeto Futuros Disruptivos

    Em:

    Em Destaque

    Aplicativo foi idealizado por alunos da rede pública do município, com idades de 9 a 11 anos. Mais de 20 estudantes participaram de três meses de aulas e oficinas
    O protótipo de um aplicativo para mapeamento de ruas de Balneário Camboriú atingidas por enchentes e inundações, com listagem de pontos de apoio para a população. Essa é a ideia vencedora do desafio de encerramento da 3ª edição do projeto “Futuros Disruptivos: Geração de Criativos Sociais e Bio Inovadores”, que aconteceu nesta quinta-feira (30), na Univali BC. Idealizado por alunos da rede municipal de ensino, de 9 a 11 anos, o app “LocÁgua” foi escolhido por banca avaliadora entre quatro ideias.
    Sob a monitoria da professora Daniela de Aquino – e de Laura Brand, residente criativa do projeto –, o aplicativo foi imaginado pelas crianças Aniurka Del Carmen Felipe Toribio, Isabelle Nicolle Balby, João Henrique Mussolino, Mykael Pierre Silva da Rocha, Natalia Teodoro dos Santos e Yasmin Gastão da Silva Costa.
    O protótipo “LocÁgua” é dividido em três abas: Mapa das ruas, Ajuda e Prevenção. Na primeira seção, o aplicativo apresenta as ruas alagadas, aquelas que merecem atenção dos moradores e as não afetadas pelas fortes chuvas do período em questão. Na parte de Ajuda são encontrados telefones de contato e endereços da Defesa Civil e da Rede de Apoio – residências de moradores dispostos a ajudar, abrigos para pessoas e espaços provisórios para pets.
    “Fiz um pouquinho de tudo. Ajudei no projeto, na montagem e conduzi a apresentação representando meus colegas”, compartilha João Henrique Mussolino, da escola Centro Educacional Municipal (CEM) Vereador Santa.
    Além do troféu, o grupo vencedor ganhou uma visita educativa para o parque Aventura Jurássica, do grupo Oceanic, e um passeio para o Museu Oceanográfico da Univali, em Balneário Piçarras.

    KSnSdLR5TpFZgTPIdQIr1CyUzTiDmJcPPiVZRNKftso plaintext 638371142344972769 kvPCjxMnDdUNJ8Tt AOPt6lOuJOiSe1f G4RCLvpQSk plaintext 638371142343147467 UWH1667tOAS6e1 BODBDSFtfB3q580UOvoEQjLiR 8A plaintext 638371142342878187 inkOb5cOANFLYMW8LTjAO3n3Rlo1S 0zRufze1YjJNk plaintext 638371142343007842

    Desafio final
    Na tarde desta quinta-feira, mais de 20 estudantes que participaram da 3ª edição do projeto “Futuros Disruptivos” foram convidados a desenvolver um aplicativo de forma colaborativa, considerando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – estabelecidos pela Assembleia Geral das Nações Unidas –, com foco na melhoria de vida das pessoas que residem em Balneário Camboriú e/ou turistas. O grupo vencedor, por exemplo, considerou a ODS 13, que busca definir medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos.
    “Pensamos sempre em alcançarmos benefícios para a cidade de Balneário Camboriú ao propor o desafio final. É mostrar que essas crianças conseguem cocriar com a sociedade e trazer benefícios para ela”, explica a professora Bianka, que é idealizadora do projeto.
    Os protótipos criados pelos outros três grupos dialogam com doações de alimentos, roupas, brinquedos, materiais de higiene pessoal e escolar para famílias em vulnerabilidade social e pessoas em situação de rua – com a criação de tótens fixos em pontos da cidade; doação de produtos usados para entidades da cidade, transportados por catadores de materiais recicláveis, ampliando também a economia desse grupo; e destinação de alimentos para escolas e pessoas com problemas econômicos.
    Alice Becker Ricetti, Ana Luiza Consalter Faria, Davi Miguel Umbelino Faria, Emma Elizabeth Feliciano Francisco, Gustavo da Costa Gomes, Ian Miotto Brezolim, Izabeli Correia Machado, Izabely Cristina Nunes da Silva, Lara Manoela Soares Peres, Lisy Eduarda da Silva Vasconcelos, Mani Luise Diniz Schepers, Manuela Jácomo Melo Rocha, Rahaf Mutasim Khalil Al Suodi, Sabriny Sophie Rodrigues de Souza, Theo Euclides Arruda Barbosa e Yasmin Vitória Rocha Pinho Jablonski Peixe foram as demais crianças presentes no dia de encerramento.
    Todos os alunos foram certificados pela participação no projeto nos últimos dois meses.

    Projeto “Futuros Disruptivos”
    Desde 26 de setembro, as crianças selecionadas para esta edição do projeto foram instigadas a mudar um mundo, transformando-se em heróis com propósito. Elas tiveram um módulo prático de cuidados com a natureza e também exercitaram técnicas de planejamento estratégico, design thinking, empreendedorismo e marketing social, educação financeira e internacionalização – entre outros temas pertinentes à inovação e ao desenvolvimento sustentável.
    “A cada edição ganhamos mais maturidade. A gente vê que as pessoas estão acreditando nesse modelo de processo que cria cidadãos responsáveis e colaborativos para o futuro”, declara a professora Bianka.
    Rutiane Ribas, mãe da pequena Lisy Eduarda, comenta que a filha voltava para casa dos encontros semanais transbordando animação. “Minha filha sempre foi curiosa. O projeto dá mais maturidade para os alunos, já que começam a passar com mais clareza as ideias. Ela já comenta em entrar para a faculdade quando jovem adulta”, diz.
    Realização colaborativa
    O projeto “Futuros Disruptivos” é conduzido em parceria colaborativa entre Univali, Prefeitura de Balneário Camboriú, Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Cooperativa de Crédito Credifoz, Oceanic Aquarium e WTM International.
    Para o Dr. José Ewerton da Silva, vice-reitor de Graduação da Univali, o projeto garante que seja plantada uma geração que vai pensar diferente da atual, que vai entender que empreendedorismo e ter ideias é algo bom. Já o secretário de Educação de Balneário Camboriú, Marcelo Achutti, considera a iniciativa mais que promissora. “Isso sim é educação de qualidade. Isso sim é o que esperamos principalmente para a nossa rede de ensino”, declara.
    Segundo Cirlei Donato, vice-presidente de Assuntos Governamentais da Acibalc, iniciativas que foquem o trabalho nas pessoas do entorno são necessárias. “Assim, teremos cidades melhores e um mundo melhor”. O professor Fábio Zabot Holthausen, Consultor de Inovação da Univali, relembra as similaridades do desafio final com criações importantes para a sociedade atual. “Essa atitude é a mesma de idealizadores de aplicativos como WhatsApp e Netflix: identificar um problema e pensar uma solução”.
    Marina Letícia Crispim Santos, coordenadora de gestão de pessoas da Credifoz, acredita que “nesse desafio, as crianças aprenderam a pensar diferente, em soluções, e isso irá refletir no futuro delas”. A chief marketing officer da empresa WTM Internacional, Chiara Tracey Bolzon, ficou surpresa e inspirada com os resultados apresentados no desafio final. “Espero que continuem sendo o passaporte para a diferença no mundo”, pontua.
    Para Aline Zanella, analista de negócios e inovação do Sebrae, foi uma surpresa ver os resultados da ação de encerramento. “Foi uma surpresa ver as crianças se tornando protagonistas das suas próprias histórias”, diz. Já a consultora de educação do grupo Oceanic Aquarium, Camila Martins, citou o design thinking em sua avaliação do desafio final. “Trabalhar com design thinking é um desafio, mas todos tiraram de letra. Fiquei arrepiada de ver cada problema e suas soluções inovadoras”, comenta.

    Projeto coleciona premiações
    Entre as premiações alcançadas pelo projeto nas últimas edições estão:
    • 1º lugar no Prêmio Inovação Catarinense – Professora Caspar Erich Stemmer, na categoria Professor Inovador (2021);
    • 1º lugar na 3ª edição do Prêmio Regional de Inovação, na categoria Produtos e Serviços (2021);
    • 1º lugar no 5º Congresso Catarinense de Cidades Digitais e Inteligentes, na categoria Projeto Inovador (2022);
    • 1º lugar na 2ª edição do Design for a Better World Award (2022);
    • 2º lugar na 3ª edição do Prêmio Regional de Inovação, na categoria Inovação Social (2021); e
    • 3º lugar na 12ª edição do Brasil Design Award (BDA), na categoria Design Social (2022).

    Cidades