Secretaria de Obras

730
Compartilhar

Pátio ou lixão?

Pelas fotos, dá a impressão de se tratar de um aterro sanitário, devido ao acúmulo de lixo, mas pasmem, é o pátio da secretaria municipal de Obras de Itapema. Uma vergonha, comunidade pede providencias, pois teme casos de dengue com a chegada do inverno.

A cidade cerca pela mata atlântica e banhada por belas praias é considerada o terceiro polo turístico do estado de Santa Catarina, situado no norte do Estado, com uma população de cerca de 65 mil habitantes, a cidade não possui uma mínima estrutura de Saúde, de infraestrutura, de Mobilidade Urbana, e de Esportes, zero de habitação.

A cidade tem por gestão na área de gestão de lixos, A Ambiental atua nos setores de Limpeza Urbana e Saneamento de Itapema. Responsável Limpeza Urbana realiza os serviços de coleta, tratamento e disposição final de resíduos sólidos e serviços gerais de limpeza, na outra ponta, o Município é equipado com a Fundação Ambiental Área costeira de Itapema (FAACI) que tem por atribuições fiscalizar e autuar crimes ambientais, multar, processar e orientar sobre as legislações ambientais para todos os setores da sociedade.

Uma denúncia anônima chegou na redação dando conta que na Secretária de Obras do Município de Itapema, que tem por Neto por secretário responsável pela gestão da pasta, contudo, o setor apresenta uma série de problemas relacionados a falta de manutenção e organização, porém, não cumpre a legislação ambiental, ou seja, quem acessa o pátio da Secretário encontra a olhos nu um monturo, lixão a céu aberto, em época de pandemia de Dengue a Secretária é uma patrocinadora do criadouro de toda sorte de insetos, aranhas, peçonhas e do temido mosquito Aedes Egiptys.

Em 2019, a cidade sofreu uma epidemia de dengue contabilizando mais de 600 casos da doença, (fonte Dive SC), mesmo com este diagnóstico o governo Nilza Simas, com a gestão compartilhada com o secretário de Obras e Transportes, Osvaldo Batista Neto, e da FAACI, que tem por servidor no órgão ambiental seu ex-marido, fazem vista grossa a este crime ambiental. Os monturos podem provocar dentre outros problemas a contaminação dos lençóis freáticos, enchentes, proliferação de vetores que transmitem doenças como ratos, moscas, vermes mosquitos, somando-se ainda a contaminação do ambiente por bactérias e vírus além do mau cheiro.

Não há desculpas, como falta de recursos: O Município tem convênio com aterro sanitário, obrigação de lei, tão necessário à manutenção da saúde quanto as demais atividades do governo de Itapema conivente com crime ambiental.

Segundo o dicionário – Monturo é um monte de lixo, aglomeração de coisas velhas e descartadas; montureira local de proliferação de doenças.

Contraponto

Nossa reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura, mas até o fechamento desta edição, o órgão não havia se pronunciado a respeito da denúncia.