16.6 C
Itapema
quarta-feira, julho 6, 2022
mais
    InícioCidadesItajaíLançados o site da FGML e os Planos Museológicos das unidades de...

    Lançados o site da FGML e os Planos Museológicos das unidades de Itajaí

    Em:

    Em Destaque

    Na noite de quinta-feira (09), a Fundação Genésio Miranda Lins (FGML) realizou o evento de lançamento da interface de seu novo site e dos Planos Museológicos do Museu Histórico e do Museu Etno- Arqueológico de Itajaí. A iniciativa, que integra a programação comemorativa aos 162 anos da cidade, ocorreu no Museu Histórico e contou ainda com o lançamento do livro 1818, de autoria do jornalista Rogério Pinheiro.

    O site do órgão (www.fgml.itajai.sc.gov.br) estava desatualizado e a Secretaria de Tecnologia (Setec) trabalhou no projeto para atualização da página, em parceria com servidores públicos efetivos da FGML. Textos, agenda, fotos, anuários e outros dados foram atualizados e publicados na página, que foi reativada e deve passar ainda por novas atualizações futuras.

    Os Planos Museológicos do Museu Histórico e do Museu Etno-Arqueológico de Itajaí também foram socializadas no evento e ficarão disponíveis para consulta nas duas unidades. Tratam-se de ferramentas de planejamento estratégico obrigatório, previsto na Lei Federal referência para o setor (nº 11.904/2009) e no Decreto Federal nº 8.124/2013.

    O processo de elaboração dos planos envolveu equipes multidisciplinares, compostas por gestores, museólogos, historiadores, arquitetos e outros profissionais. Durante a cerimônia, as museólogas Thayná Mariane Monteiro de Castro e Danielle Rauber falaram sobre o processo coletivo e participativo de construção dos planos e a aplicação dos mesmos, que ocorrerá nos próximos cinco anos, com ações em curto, médio e longo prazo.

    “Sinto-me honrado por estes feitos, as mudanças e melhorias que conseguimos fazer com a nossa equipe e parceiros. Esta dinâmica, o site e os planos nos conectam melhor com a população e com o mundo”, afirmou o diretor executivo da FGML, Fabrício Marinho.

    Já o superintendente administrativo das Fundações, Normélio Pedro Weber, destacou a importância do trabalho técnico realizado pela equipe. “É disto que precisamos, de profissionais que sabem como e o que fazer para manter e preservar documentos, arquivos, o acervo, ou seja, que valorizam a memória. Isto é fundamental para a comunidade, para esta cidade que tanto amamos”, enfatizou.

    O vice-prefeito, Marcelo Sodré, ressaltou a importância de se entender o passado e o presente, para construir o futuro. “Fico muito feliz em ver este cuidado para que a nossa história seja conhecida, não se perca e para que tenhamos ainda mais orgulho da nossa trajetória”, ponderou. 

    Livro 1818

    Na cerimônia desta quinta ainda lançada a obra “1818 — a história da colônia criada por Dom João VI que foi alvo de disputa entre brasileiros e portugueses no século XIX”. O livro conta os bastidores da criação da Colônia Nova Ericeira em 1818 e a guerra que se travou entre brasileiros e portugueses pelo seu controle.

    Na obra, o autor aborda também os motivos que levaram ao fim da Nova Ericeira, que é considerada o 1º empreendimento pesqueiro do Brasil, na Enseada das Garoupas, hoje cidade de Porto Belo. Além de Itajaí, fizeram parte da colônia as cidades de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Barra Velha, Bombinhas, Camboriú, Governador Celso Ramos, Itapema, Navegantes, Penha, Porto Belo e Tijucas.

    O livro pode ser localizado no Centro de Documentação e Memória Histórica (para consulta) e adquirido na Livraria Catarinense no Itajaí Shopping.

    Cidades